Força Tática da PM faz apreensão de lança-perfume

Sargento Laudo, cabo Neto e soldados Douglas e Fernando da equipe da Força Tática da Polícia Militar em operação na Rua Tiradentes, defronte ao número 109, na madrugada de terça-feira realizaram a apreensão de um produto ilícito conhecido como lança-perfume. Os policiais detectaram quando um grupo de jovens caminhava pela referida rua com uma grande quantidade de malas de viagem e fizeram a abordagem para uma averiguação.

Em uma dessas malas que pertence a Juliano S.S., de 24 anos, havia dois litros de vidro de 900 ml, contendo em seu interior um liquido de cor azul. Também estavam nessa mala 126 pequenos frascos de vidros vazios de, aproximadamente, 26 ml. Na bagagem de uma adolescente de 17 anos, foi localizado outro litro idêntico aos dois primeiros mais 60 frascos de pequenos vidros vazios.

Ao serem indagados sobre a origem do produto os averiguados alegaram que era lança-perfume e haviam comprado de um homem desconhecido de São Paulo, pagando por cada litro a importância de R$ 200,00. Pretendiam distribuir o líquido em frascos menores para venda a usuários no carnaval. Cada embalagem seria vendida a R$ 30,00.

Os averiguados foram conduzidos até o Plantão Permanente onde prestaram depoimento ? autoridade policial civil e os litros com o líquido foram encaminhados para a perícia. Após serem ouvidos os dois foram liberados.

{n}Lança-perfume{/n}

É um produto desodorizante em forma de um spray. O líquido, que é a base de cloreto de etila e acondicionado sob pressão em ampolas de vidro, devido a combinação do gás e perfume, ao ser liberado, forma um fino jato com efeito congelante. Produto foi muito usado nos carnavais brasileiros, até que os foliões passaram a utilizá-la como bebida espirituosa ou inalá-la profundamente, a partir de então, foi proibido o uso em salões e mais adiante a sua comercialização.

O produto industrializado é geralmente embalado em tubos na forma líquida mediante alta pressão e, em contato com o ar, evapora rapidamente. Ele acelera a freqüência cardíaca, podendo chegar até 180 batimentos por minuto. Aparentemente, inofensiva devido ao seu odor, esta droga destrói as células do cérebro e pode levar o usuário a ter desmaios ou em caso extremos até ? morte através de parada cardíaca.