Foragida da Cadeia de Itatinga é capturada

Na madrugada desta quarta-feira (15), a Polícia Militar, em patrulhamento pela Rua José Ravagnani, região da Vila Antártica, efetuou a prisão de uma mulher chamada Lucinéia Ferreira, de 23 anos de idade. Presa em flagrante por tráfico de entorpecentes em 24 de maio deste ano, aguardava julgamento. Ela havia fugido do presídio feminino de Itatinga, na quinta-feira da semana passada (9 de junho).

A fuga de Lucinéia foi peculiar. No dia da fuga, as celas do presídio foram abertas para as visitas, já que chovia muito. Lucinéia, simplesmente, misturando-se entre os visitantes saiu, sorrateiramente, pela porta da frente da cadeia e ganhou a rua. Sua fuga foi descoberta quando a carceragem executava a contagem diária das presas. Um cerco policial foi montado, mas a mulher havia desaparecido. Ela conta que após deixar a cadeia veio de carona para Botucatu.

No dia seguinte ? fuga, ou seja, na sexta-feira (10/06), o delegado Celso Taira abriu Processo Administrativo (PA) para apurar se houve negligência por parte da segurança do presídio, que possibilitou a fuga da indiciada.

{n}{tam:25px}A prisão{/tam}{/n}

A prisão em flagrante de Lucinéia foi realizada pelos policiais militares Tuono e Moreno na manhã de terça-feira do dia 24 de maio na Rua Ariovaldo Corrêa Pinto, região da Vila São Luiz e registrado pelo delegado Carlos Antônio Improta Julião Filho, titular da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE).

Os policiais realizavam o patrulhamento por aquela via quando perceberam que um casal estava saindo de um terreno baldio. Ao realizar a revista pessoal foi encontrado em poder de Aziel de Paula Rosa de Araújo, de 34 anos, um telefone celular e a quantia de R$ 79,00. Já Lucinéia carregava na mão um saco plástico e no seu interior nove pedras de crack (0,0305 kg).

Questionado sobre a origem da droga, o casal não soube relatar a procedência da droga apreendida e recebeu voz de prisão, que foi ratificada pelo delegado titular da DISE. Araújo foi recolhido ? Cadeia Pública de Botucatu e Lucinéia para o presídio feminino de Itatinga.

{bimg:23606:alt=interna1:bimg}