Fogo destrói residência na região da Vila dos Lavradores

Um caso de incêndio em residência foi atendido pela equipe do Corpo de Bombeiros, na primeira hora deste sábado, na Rua Cesário Mota, nº 424, fundos e gerou um clima de medo e pânico entre os vizinhos. Esta residência fica em uma viela onde existem outras casas e uma oficina mecânica de autos.

Tudo começou quando um cidadão de nome Fábio, com 35 anos de idade e sofre de dependência química foi até uma casa vizinha e emprestou um isqueiro, que seria para acender um cigarro. Entretanto, teria insinuado a um morador que iria atear fogo na casa.

Poucos minutos depois o fogo teve início e as chamas tomaram conta dos cômodos da casa. O rapaz conseguiu sair sem se ferir e no seu relato ? polícia alegou que um cigarro aceso que estava num cinzeiro teria caído no cobertor e ele não percebeu. Quando viu o fogo se alastrando correu para fora.

Com a chegada do Corpo de Bombeiros as chamas foram controladas, mas pelo menos três cômodos da residência foram, completamente, destruídos. A ação dos bombeiros impediu que as chamas alcançassem as casas vizinhas, mas o fogo abalou as estruturas de toda casa, que poderá ser demolida. A Polícia Técnica Científica também compareceu ao local para coletar dados para a perícia e encaminhar o laudo conclusivo ao delegado Marcos Mores, titular do 2º Distrito Policial (DP) que atende aquela região da Cidade.

Os vizinhos alegam que esse cidadão tem causado sérios transtornos aos vizinhos em razão do seu envolvimento com drogas. Ele mora sozinho nesta casa que pertence a herdeiros de sua família e, frequentemente, incomoda os moradores.

“De um ano para cá ele piorou muito e todos que moram neste local estão apreensivos com o que ele pode fazer. Já vendeu quase todos os móveis e chega a subir no telhado das casas vizinhas para cortar a linha telefônica. Temos medo que possa fazer algo contra alguém, pois está se tornando perigoso e a polícia já foi alertada sobre esta situação”, revelou um dos vizinhos que pediu para não ser identificado.

Fotos: Valéria Cuter