Filha nega que teria abandonado mãe idosa no sol

Foto: Luiz Fernando

 

Uma ocorrência registrada nesta terça-feira (15) em Boletim de Ocorrência (BO) sobre uma mulher de 67 que teria sido deixada por 30 minutos fechada em um carro embaixo de sol forte, gerou muita discussão e comentários nas redes sociais.  

Está descrito em Boletim de Ocorrência (BO) que a mulher estava imóvel e com vômito pelo corpo e a PM acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que, através da enfermeira Priscila prestou socorros à mulher e os policiais apresentaram o caso junto a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Quando a filha voltou ao carro acompanhou o trabalho do Samu e alegou, segundo o que está descrito no BO, que é responsável pelos cuidados à mãe que tem necessidades especiais. Havia estacionado seu veículo na Rua Amando, deixando sua genitora no carro para ir até o banco e o atendimento teria demorado mais do que devia. Essa mulher que não teve (e continuará não tendo) seus dados pessoais divulgados procurou a reportagem do Acontece para dar sua versão do caso.

 

Saiba o que ela disse

 

Estou declarando de livre e espontânea vontade que minha mãe tem problema de saúde e não pode se locomover por meios próprios; sendo que necessitei levá-la à agência do Banco Itaú para retirada de um novo cartão de movimentação de conta salário, haja vista que para tanto, uma funcionária da agência bancária tem que visualizar minha mãe. Qualquer um sabe disso, por esse motivo desloquei-me até a agência do Itaú localizada à Rua Amando de Barros “de frente com a Drogal”; onde estacionei meu veiculo  por volta das 10h30min.

Deixei minha mãe no veículo e adentrei a citada agência no intuito de que a funcionária me acompanhasse até o meu carro para visualizar minha mãe e entregar o respectivo cartão, mas, antes de ir ao banco minha mãe já havia vomitado, pois sempre que anda de carro acontece esse fato, por isso sempre que vou fazer algo com ela eu pergunto um dia antes se posso levá-la, fato que a funcionaria do banco já sabia que tinha que ir ao carro. Não fiquei cinco minutos no banco, se tivesse ficado teria colocado o recibo do parquímetro, fato que não fiz, porque sabia que ia voltar rápido.

Quando voltei o “pampeiro” estava formado, fiquei muito nervosa, os funcionários do Samu foram muito atenciosos comigo, me elogiaram, pois minha mãe estava muito bem cuidada e não foi para o PS como estão falando. Colocaram minha mãe de volta no meu carro e voltamos para casa. Tudo isso foi cronometrado. Saí da minha casa 10h04min, quando cheguei à minha casa era 11h07min. Como fiquei 30min parada com o carro sendo que levei 20min para chegar ao Centro? Pois com criança e idoso não se corre ou esses que estão falando que eu minto correm mesmo assim? Eu não.

Outra coisa: sei dos horários porque tenho um vicio de sempre que ligo o carro eu vejo a hora, e quando desligo também, e dei um telefonema as 10h48min para o meu esposo,  e eu já estava com a minha mãe, e recebi um telefonema as 11h41 min, já com a minha mãe trocada e no momento que tocou o celular estava lavando o cobertor que estava sujo de vomito.

Cuido da minha mãe da melhor forma possível deixei de trabalhar de manhã pelo fato de estar muito cansada, pois trabalhava três períodos e tinha que acordá-la às 6 horas da manhã para dar banho nela, fato que mesmo pagando alguém para cuidar dela, eu não abro mão disso. Eu cuido, pois sempre falava que se um dia precisasse de limpá-la eu faria.

O médico do Samu pediu para eu tocar minha vida, esquecer esse dia, pois é longa minha luta, e preciso de muita força para cuidar da minha mãe, mas por causa de certos comentários nem dormi, pois sempre fiz as coisas certinhas para não levar broncas.