Ex-investigador é acusado por estupro e roubo

Uma operação muito bem sucedida realizada na madrugada desse domingo pelos policiais militares Sinvaldo e Roma, terminou com a prisão de um indivíduo considerado de alta periculosidade que, segundo dados policiais, é um ex-investigador de polícia que foi expulso da corporação e conta com passagens por roubo ? mão armada e estupro.

Os policiais transitavam pela Rua João Queirós Reis, região da Vila Sônia, quando perceberam que um carro modelo Corsa, com placas de Osasco, estava estacionada na calçada com uma mulher sozinha no seu interior. Como já era madrugada os PMs estranharam a mulher sozinha no carro e decidiram pela abordagem, primeiramente para certificar se ela necessitava de ajuda.

Essa mulher, de nome Patrícia, quando abordada alegou que estava com seu namorado que naquele momento estava fazendo suas necessidades fisiológicas, mas estava demorando muito para retornar. Porém, a atitude da mulher não convenceu os policiais. Prosseguindo o trabalho de patrulhamento eles localizaram outro carro estacionado cujo modelo e placa serão mantidos em sigilo a pedido da polícia.

Nesse carro os policiais flagraram uma cena inusitada. Um casal estava nu no banco dianteiro do carro e no banco traseiro havia um elemento vestido. Os policiais perceberam que se tratava de um crime e descobriram que o indiciado havia roubado o casal e estava praticando atos libidinosos com a mulher, que na legislação atual caracteriza crime de estupro.

Dado voz de prisão ao elemento que foi identificado como sendo o ex-investigador de polícia Aluísio Camilo dos Santos (foto), de 28 anos de idade. No carro onde ele havia rendido o casal os PMs encontraram uma pistola semi-automática, calibre .40, com numeração adulterada. Por questões óbvias o nome do casal será mantido em sigilo.

Encaminhado ao Plantão Permanente, Aluísio Santos, prestou depoimento ao delegado plantonista Marcos Sagin de Campos, que determinou o seu recolhimento ? Cadeia Pública local, onde permanece ? disposição da Justiça, A reportagem do Acontecebotucatu.com buscou colher as palavras do acusado, mas ele se recusou a falar. O mesmo aconteceu com a mulher de nome Patrícia que seria sua namorada.

O delegado titular da DIG – Delegacia de Investigações Gerais, Celso Olindo, lamentou o fato de um ex-investigador de polícia estar envolvido em crimes desta natureza. “Esse elemento já foi expulso da polícia por má conduta. Ele não merece ter sido membro da Polícia Civil. Infelizmente, casos de maus profissionais existem em todas as áreas e a polícia não é exceção. Felizmente, a esmagadora maioria dos policiais são pessoas abnegadas e honestas que buscam, no cumprimento do dever, desempenhar seu trabalho com dignidade e dedicação, da melhor maneira possível”, colocou Olindo.

Foto: Fernando Ribeiro