Estuprador que violentou mulher na frente da filha é preso

Fotos: Luiz Fernando

 

Um trabalho realizado pelos policiais militares da equipe Charlie composta pelo cabo Chavari e soldado Leite na manhã desta terça-feira, resultou na elucidação de um dos crimes mais hediondos dos últimos tempos praticados em Botucatu: o estupro de uma mulher de 37 anos, que estava acompanhada uma filha de seis anos. Crime aconteceu em um local ermo no Distrito de Rubião Junior, no início da noite da última sexta-feira (24).

O nome do criminoso é Eduardo da Conceição Silva, o Duda, de 23 anos e que estava cumprindo pena por crime de roubo à mão armada na Penitenciária de Marabá. Estava em liberdade beneficiado pela saída temporária antecipada do Dia das Mães e deveria ter se apresentado na tarde desta segunda-feira, o que não aconteceu.

Esse cidadão não é de Botucatu e veio à cidade convite de um companheiro de cela que mora na cidade e também havia conseguido o benefício e estava visitando mulher e filhos que residem na Vila Real. Viaturas das polícias Civil e Militar foram até o local,  mas o proprietário da casa não estava presente e a mulher foi conduzida à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) para averiguação.

A operação da PM teve início quando os policiais foram atender a um caso de furto qualificado em uma residência na Rua Castro Alves na Vila Antártica e prenderam o autor em flagrante. Porém,  eles detectaram que as características daquele elemento coincidiam com as do estuprador. Fazendo o levantamento de dados foi confirmado ser ele o criminoso. Levado à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) confessou com riqueza de detalhes o ato violento praticado contra a mulher.

Disse que abordou a mulher que estava entrando um veículo Renault Clio, de cor vermelha, juntamente com sua filha de seis anos de idade, estacionado na Rua Dr. Costa Leite. Ele empurrou a mulher e a criança para o banco traseiro, tomou a direção do carro e trafegou por várias ruas da Cidade até chegar ao Distrito de Rubião Júnior onde ele a teria estuprado na frente da criança.

“Eu não conhecia a cidade e fui trafegando e ia deixar a mulher na rua, mas não sei o que me deu na cabeça para fazer aquilo. Só queria celular e dinheiro. A criança não viu nada porque estava no porta-malas. Fiz o que tinha que fazer e voltei pelo mesmo caminho, mas estava perdido. A mulher pulou do carro e eu andei mais alguns metros e saí correndo”, conta o criminoso.  Essa versão é parecida com a dada pela mulher, exceto no caso da menina que teria presenciado a violência sexual cometida contra a mãe.

Ao ver-se livre do criminoso a mulher acionou a Polícia Militar e foi conduzida ao Plantão Permanente onde o Boletim de Ocorrência (BO) foi confeccionado. Na sequência, com marcas de sangue e sêmen da violência sexual ela foi conduzida ao Pronto Socorro (PS) do Hospital das Clínicas  (HC), onde o estupro foi confirmado. No carro abandonado a polícia localizou cartas endereçadas a um presidiário de uma penitenciária da região. O nome do rementente não foi revelado. Outro dado que está sendo investigado é em relação à outros crimes de roubos que poderiam ter sido  praticados por Duda e pelo comparsa que está sendo procurado e poderá ser preso a qualquer momento.