Empresário é assassinado com arma de grosso calibre

Fotos: Valéria Cuter

Na manhã desta terça-feira (11) um crime de assassinato foi registrado pelas polícias Civil e Militar, na Rua João Batista Carnietto, região do Jardim Continental. Nesse horário a movimentação de veículos e pessoas é acentuada e a polícia está procurando pessoas e imagens que testemunhem o crime.

Segundo as apurações preliminares feitas no local do crime, o empresário Gilberto Limoni Filho, de 56 anos de idade, transitava com seu veículo Classic, com de placas de Botucatu FFF-9519, pela referida via quando uma motocicleta vermelha emparelhou com o carro. O que estava no banco de passageiro da moto, munido de uma espingarda calibre 12, desferiu um tiro ? queima roupa que atingiu o pescoço da vítima que morreu no local. Após o crime a dupla fugiu.

De acordo com o major Valter Luis, chefe do Setor Operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM-I), de Botucatu, duas hipóteses prováveis foram levantadas para este crime: vingança ou latrocínio (roubo seguido de morte). “A vítima não teve nenhuma chance de se defender e morreu no volante de seu carro. Pela maneira como estava trajado (terno e gravata) ele estava se deslocando ao trabalho”, deduziu o major da PM.

O delegado Geraldo Franco Pires, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), que está no comando do trabalho investigativo acredita que em razão do horário em que o crime aconteceu, os criminosos poderão ser identificados e nenhuma hipótese sobre a autoria está sendo descartada. A polícia suspeita que a vítima conhecia seus agressores.

“O movimento daquela rua é grande e temos a convicção de que alguém pode ter presenciado o crime e nos fornecer características físicas dessa dupla que estava na motocicleta. O trabalho investigativo está em seu início e fica difícil afirmar qualquer coisa nesse momento”, colocou Franco Pires, lembrando que a polícia está fazendo um levantamento de onde a vítima esteve nas horas que antecederam o crime.

A Polícia Técnica e Científica também compareceu ao local do crime para coletar dados e preparar o laudo pericial, antes do corpo ser levado ao Instituto Médico Legal (IML) para ser necropsiado. O delegado realça que se alguém tiver alguma informação, mesmo que anônima, sobre o crime pode ligar para a Polícia Civil (3882-1828); Polícia Militar (190), ou Guarda Civil Municipal (199).