Eleição de grêmio em escola estadual gera tumulto

A divulgação do resultado da eleição para escolha do presidente do Grêmio Estudantil da Escola Estadual Dr. Amando de Salles Oliveira, que fica na região do Jardim Peabiru, não foi aceita pelo grupo que foi derrotado através da preferência dos alunos e um tumulto acabou acontecendo no interior daquele estabelecimento de ensino.

Inconformado com o resultado, o aluno que encabeçou a chapa derrotada insuflou seu grupo e os estudantes soltaram fogos de artifício (bombas) e promoveram a queima de lixo no pátio da escola. O tumulto foi neutralizado pela Polícia Militar que compareceu ao local e fez com que houvesse a dispersão dos alunos. Por segurança a direção da escola suspendeu as aulas. Também esteve no local o promotor da Vara da Infância e Juventude, Eduardo Daher Zacharias e o diretor regional de Ensino, professor Valdir Paixão.
“Esse aluno que perdeu a eleição já tem causado problemas e ao saber que não havia sido o escolhido para presidir o grêmio, passou a promover atos de vandalismo com bombas e queima do lixo. Esse grupo corresponde a minoria da escola”, colocou Paixão, que não adiantou se haverá punição grave para os baderneiros. “Nosso propósito como educador não é excluir ninguém, mas sim ensinar práticas como educação e civismo. Por outro lado, não podemos admitir que lideranças negativas queiram dominar o sistema”, enfocou.

Paixão reconhece que a escola em questão é problemática e vários casos de indisciplina já foram registrados, mas a situação vem sendo modificada com a implantação do programa “Jovens Brasileiros em Ação”, criado pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, com abrangência para todo Brasil e a primeira escola que irá contar com o novo programa em Botucatu é, exatamente, a Armando Salles de Oliveira.

“E essa minoria que provocou esse tumulto é contrária ? implantação desse projeto pela Polícia Militar que tem uma responsabilidade social que estimula o protagonismo (primeiro lugar em algum fato) através da prática da cidadania e da disseminação da formação de liderança juvenil, para manter uma sociedade justa longe das drogas, crime e violência onde o jovem promove os projetos de ação colocando-os na prática”, explica Paixão. “Também iremos fazer parceria com a Prefeitura Municipal e Rotary Clube Norte para promoções de atividades educacionais, com palestras e cursos. Nossa missão é educar”, frisou o diretor de Ensino.

Ele destaca que a escola ocupa uma área muito grande e fica difícil manter uma vigilância constante a todos os alunos, principalmente, com relação ao uso de entorpecentes. “Acreditamos na Educação e entendemos que o melhor caminho é tentar mostrar aos alunos o bom e o ruim. Sabemos que não iremos atingir os 100%, mas poderemos criar um ambiente, com uma gestão séria e educativa, onde alunos com influência negativa não se sintam ? vontade junto aos demais”, concluiu Paixão.

Foto: Valéria Cuter