Dupla de estelionatários que agia na região acaba presa

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Celso Olindo realizou a prisão em flagrante de dois estelionatários que vinham agindo na região na compra de peças para carros. Na tarde desta sexta-feira Olindo foi informado por um funcionário de uma concessionária instalada na Avenida Dante Delmanto, de nome Rafael, de que um desconhecido, estaria tentando comprar equipamentos para autos usando documento falso e cheques sem fundos.

O funcionário da concessionária havia sido informado por um amigo que trabalha em outra empresa do setor que um cidadão estaria aplicado golpes em diferentes cidades da região e já havia passado por lojas que revendem peças de carro em Barra Bonita e São Manuel. “Quando ele entrou na loja vi que as características correspondiam e procurei o doutor Celso que pediu que eu concretizasse a compra para que o flagrante fosse elaborado”, lembra o vendedor.

Entretanto, o desconhecido desconfiou e tentou fugir, mas foi interceptado pelo delegado que contou com o apoio dos policiais militares rodoviários Milanesi e de Paula, antes de entrar em um veículo Golf vermelho, placas CTR-8396 de São Paulo. Ele recebeu voz de prisão e identificado como sendo José Pereira de Jesus, de 41 anos de idade. No volante do Golf foi preso Antônio Jorge dos Santos, de 51 anos.

O que impressionou os policiais foi a quantidade de peças de primeira qualidade que estava no porta-malas do carro, oriundas de compras, com carimbo de diferentes empresas da região. Só nessa sexta-feira, a polícia detectou que eles haviam aplicado golpes em Barra Bonita e São Manuel e são suspeitos de golpes em outras cidades da região e até do estado.

A maneira de agir dos estelionatários era bastante simples. Com grande poder de persuasão (convencimento) José Jesus procurava os vendedores e adquiria variados produtos. O comparsa, Antônio Santos, permanecia no carro. Depois pagava com cheques falsos que eram consultados, mas não indicavam nenhuma irregularidade. A conta no banco era aberta com documentos falsos.

“Acreditamos que golpes semelhantes tenham sidos cometidos em muitas cidades. Agora o trabalho investigativo prossegue para descobrir quantos golpes foram aplicados e o montante do prejuízo que eles deram aos empresários do setor de venda de peças de carros”, colocou Celso Olindo. “Costumo dizer que Botucatu é fim de linha para o bandido e mais uma vez isso se confirma”, complementou.

O carro Golf com as peças compradas, assim como os dois acusados por crime estelionato e uso de documentos falsos, foram conduzidos ao 2º Distrito Policial (DP) onde o delegado Marcos Mores, após confeccionar o Boletim de Ocorrência (BO) determinou o recolhimento de José Jesus e Antônio Santos ? Cadeia Pública local, onde permanecem ? disposição da Justiça.

Fotos: Macaru