Dois casos de uso de maconha foram registrados na mesma praça

O envolvimento de adolescentes com o uso e tráfico de entorpecentes é bastante acentuado em Botucatu e fazem parte da rotina cotidiana das ocorrências policiais registradas em Boletins de Ocorrência (BOs). Em razão disso foi criado em Botucatu o Programa de Patrulhamento Orientado ao Patrimônio Municipal (PPOPM) e mais um caso foi atendido.

Desta feita foi registrado na noite desta quarta-feira (13) na Praça Guanxuma, na Região do Jardim Paraíso, onde durante patrulhamento quatro adolescentes foram abordados. Um deles (16 anos) trazia consigo uma mochila com dois dichavadores (objetos que trituram a maconha), dois papeis de enrolar cigarro, um colírio e uma “paranga” de maconha. Também estava no grupo um rapaz de 18 anos com mais uma “paranga”.

O quinteto reconheceu que estava fazendo uso de maconha em praça pública e os dois que portavam droga foram conduzidos ao Plantão Permanente e apresentados ao delegado Marcos Sagin de Campos sendo ouvidos e liberados.

{n}Classe média{/n}

Na mesma praça, no período da tarde, já havia ocorrido a detenção de três rapazes de 18 anos de idade que estavam fumando maconha. Eles foram abordados pelos agentes Barcaça, Nogueira e Regina durante patrulhamento comunitário e durante a averiguação foi encontrado cigarros de maconha e dichavadores específicos pra usar a droga.

Os usuários são de classe média e alegaram que usavam a praça, especificamente, pra usar a maconha que tinham consigo. Acabaram conduzidos até a Delegada de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) onde foi lavrado um Termo Circunstanciado (TC) de porte de entorpecente e após os trâmites da Polícia Civil foram liberados.

{n}Sobre Programa{/n}

Vale lembrar que a GCM registrou várias situações relevantes nos espaços públicos após a implantação do Programa de Patrulhamento Orientado ao Patrimônio Municipal (PPOPM), que mapeou de maneira estatística os locais de maior incidência de reclamações, bem como consegue identificar se os problemas estão sendo resolvidos com o novo programa de patrulhamento comunitário.

Criado pelo secretário Segurança Pública e Direitos Humanos, delegado Adjair de Campos, o programa busca aprimorar o policiamento comunitário nas praças, bosques, prédios públicos e áreas de preservação ambiental, abrangendo além da região central e de bairros da cidade, localidades mais afastadas como os distritos de Vitoriana e Rubião Júnior e bairros como Rio Bonito, Mina, Alvorada da Barra, Anhumas, entre outras.

O programa proposto orienta o patrulhamento preventivo comunitário nos setores envolvidos e não influenciará no trabalho regular desenvolvido pelas equipes de patrulhamento nos logradouros públicos e nos atendimentos de ocorrências.

As ações têm enfoque na prevenção de danos, pichações, furtos e demais infrações que atinjam o patrimônio público municipal. Estrategicamente distribuídas, as equipes envolvidas percorrerão diariamente cerca de mil quilômetros, patrulhando mais de 120 próprios municipais.