DISE realiza incineração de maconha e cocaína

Contando com forte aparato policial, a Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes, (DISE) realizou na tarde desta terça-feira (15) a incineração de drogas apreendidas em operações policiais A destruição das drogas aconteceu no forno da Unesp. Foram 8,654,04 km de maconha, 2,254 kg de crack e 330 gramas de cocaína. Também foram destruídas 53,57 gramas de maconha e quatro gramas de cocaína, apreendidas em Itatinga.

A DISE esteve representada pelo delegado titular Carlos Antônio Improta Julião Filho e vários investigadores. Também estiveram presentes para acompanhar o processo de incineração e fazer a conferência das drogas destruídas a Vigilância Sanitária de Botucatu, com José Carlos Diez e a Polícia Técnica Científica com Delbol Júnior e Edevaldo Cremer. Representando o Ministério Público esteve a promotora de Justiça Cláudia Rodrigues Caldas Lourenção.

De acordo com o delegado titular da DISE, as drogas são resultado de apreensões feitas em operações policiais no município. “A droga apreendida é guardada em um local seguro onde poucas pessoas têm acesso, até que haja a autorização da Justiça para que seja destruída, mas não existe uma data específica para a realização da incineração”, explicou Julião Filho.

Segundo o delegado, por determinação da secretaria de Justiça de São Paulo, as droga aprendidas não podem mais ficar armazenadas por muito tempo. “Então procuramos destruir o entorpecente mais vezes durante o ano”, coloca Julião Filho.
Por isso, prossegue o delegado, quando gente entende ser necessário, fazemos uma solicitação ao juiz para que ele autorize a incineração. “Isso pode ser feito cinco, seis, ou mais vezes durante o ano e antes da incineração tudo é minuciosamente conferido pela Polícia Técnica Científica e Promotoria Pública”.

Fotos: Valéria Cuter