DISE prende um dos maiores traficantes da Cidade

Fotos: Valéria Cuter

“A Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) está de alma lavada, pois hoje conseguimos prender um dos maiores traficantes de Botucatu, que vinha sendo investigado há quase seis meses”. Foi o que disse o delegado titular daquela delegacia especializada, Carlos Antônio Improta Julião Filho, sobre a prisão de Reginaldo Severino, de 43 anos de idade, conhecido como “Magarefe”, na manhã desta quinta-feira (31).

De acordo com a DISE, ele é dono dos 602 quilos de maconha prensada e divididos em 459 tabletes prensados, apreendidos na terça-feira última (29) em uma operação na Rodovia Marechal Rondon, Município de Botucatu, bem próximo da Base Operacional da Polícia Rodoviária. Ele foi preso em uma casa na Rua Agenor Nogueira, na Vila Paraíso, próximo da Avenida Vital Brasil, que dá acesso ao trevo de entrada da Rondon.

A droga “encomendada” por Magarefe estava acondicionada em cima da carroceria de um caminhão Ford Cargo placas BUS-6155, de Botucatu, em meio a centenas de fardos de garrafas plásticas de refrigerantes pets. O veículo de carga trazia a droga do Mato Grosso do Sul e a polícia apurou que seria entregue a Magarefe. O caminhão estava sendo conduzido por Luciano de Oliveira Cardoso, de 30 anos de idade e que receberia R$ 15 mil para fazer o transporte do entorpecente.

“Nós sabíamos que essa droga era dele (Magarefe) e fizemos uma campana para tentar prendê-lo, mas nesse dia não foi possível. Mas a operação teve sucesso com a apreensão de mais de meia tonelada de droga. Pedimos sua prisão temporária ao juiz da 1ª Vara que foi concedida na tarde desta quarta-feira (30) e assim montamos uma estratégia para que ele não escapasse”, ressaltou Julião Filho, que irá presidir o inquérito policial.

O trabalho investigativo foi feito pelo delegado adjunto da DISE, Paulo Fábio Buchignani. “Hoje pela manhã realizamos a operação e conseguimos prender esse cidadão que se não for o maior é, seguramente, um dos maiores traficantes de Botucatu. Foram necessários seis meses para que a operação fosse concretizada”, comentou Buchignani. “Agora também estamos empenhados para identificar os traficantes de Mato Grosso que forneceram a droga”, acrescentou o delegado.

O delegado ressalta que desde que o caminhão foi apreendido, muitas ligações chegaram até a delegacia, revelando que Magarefe era o dono da droga. “Muita gente ligou para falar o que a gente já sabia, em razão das investigações dos últimos meses. Mas, isso prova que a população de Botucatu confia no trabalho da polícia e isso é motivo de incentivo para todos nós”, finalizou Buchignani.

Ao Jornal Acontece, assistido pelo advogado Vitor Deleo, Magarefe alegou que não é o dono da droga. “Não sei quais são as acusações contra “eu” e vou fazer minha defesa em juízo, porque não sou traficante. Ganho a vida “lidando” com gado em Botucatu e em outras cidades da região como Anhembi, Pratânia e Bofete. Meu negócio é carne de boi, por isso meu apelido é Magarefe (batedor de gado; homem que, nos matadouros, mata e esfola reses)”, disse o acusado.

{n}{tam:25px}A Apreensão:

{bimg:31446:alt=interna:bimg}