DISE faz grande apreensão de maconha e cocaína

Uma operação realizada pela Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) que teve início na noite desta terça-feira e se prolongou até ? s 3 horas da madrugada de quarta-feira, terminou na apreensão de uma grande quantidade de entorpecentes em Botucatu.

Acabaram presos: Camilo Moretti Gobo, de 21 anos de idade, que havia saído, recentemente, da cadeia por crime de tráfico e Hallison dos Santos Rodrigues, de 18 anos. Ambos enquadrados em crimes de tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico e recolhidos ? Cadeia Pública local.

A apreensão foi de dois quilos de pasta bruta de cocaína (que daria para fazer algo em torno de 5 mil porções) e um quilo e 700 gramas de maconha em “tijolos” (que daria para confeccionar cerca de 2 mil “parangas” da droga). O “prejuízo” dos traficantes, segundo a polícia foi de, aproximadamente, R$ 50 mil.

A delegacia especializada estava investigando esses dois elementos e tinha conhecimento de que eles iriam sair de Botucatu para entregar a droga na cidade de Areiópolis. A operação para prender a dupla foi montada pelo delegado Paulo Buchignani, que contou com a participação de todos os investigadores da DISE.

Os dois meliantes que estavam em um veículo VW Voyage, com placas de Botucatu, perceberam que estavam sendo seguidos e empreenderam a fuga em alta velocidade pela Rodovia Marechal Rondon e passaram a trocar tiros com os policiais, que visaram os pneus do carro em fuga. Mesmo com os pneus traseiros furados eles ainda trafegaram por vários metros, sentido Bauru, até pararem nas imediações do Posto Pedra Branca, nas proximidades do km 274, Município de São Manuel.

“Foi uma perseguição intensa com troca de tiros. Felizmente conseguimos deter a fuga sem que nenhum dos nossos policiais ficasse ferido”, colocou o delegado Paulo Buchignani, que estranhou o montante de droga que seria entregue em Areiópolis, cidade de pequeno porte com menos de 10 mil habitantes. “Isso mostra que o consumo de drogas está aumentando na região, mas a polícia está atenta e sempre pronta para tirar os traficantes de circulação”, acrescentou o delegado.

O inquérito será presidido pelo delegado titular da DISE, Carlos Antônio Improta Julião Filho. Ele adianta que alguns pontos ainda não foram, devidamente, esclarecidos. “Vamos agora procurar descobrir para quem essa droga seria entregue e de onde ela veio. Acreditamos que (a droga) seria entregue para um traficante em Areiópolis e este faria a distribuição do entorpecente bruto depois de transformar a droga em porções embaladas para venda direta ao usuário. Mas tudo isso ainda está em fase de inquérito”, ressaltou Julião. “Outro ponto é saber a origem desse carro que estava sendo usado para transportar a droga”, acrescentou o delegado da DISE.