DISE faz apreensão de lança perfume em vicinal

Fotos: Luiz Fernando

Depois de um minucioso trabalho investigativo os policiais especializados da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE), fizeram a apreensão de cinco litros de uma substância entorpecente conhecida como lança perfume, na rodovia vicinal João Emílio Roder, Município de Pardinho. Com a quantidade apreendida seria possível confeccionar 600 frascos (ampolas) para serem vendidos a R$ 20,00 cada um.

Para fazer a apreensão os policiais interceptaram um veículo Astra, placas DDT-2703, que vinha de São Paulo sendo conduzido por Michel Douglas Faria Rodrigues, de 25 anos, trazendo como passageiro Leonardo Antônio de Bianck, de 18 anos recém completados. Ambos foram enquadrados em crime de tráfico de entorpecentes e recolhidos a Cadeia Pública de Itatinga.

O lança perfume é uma droga cara, é comumente usada por adolescentes da classe média alta em diferentes tipos de festas, principalmente em baladas. “Fica o alerta aos pais que deve se preocupar com os locais onde os filhos frequentam e com quem andam, pois o lança perfume é um passo para o consumo de drogas mais pesadas como crack e cocaína”, alerta o delegado Paulo Buchignani. “Mais uma vez nossa equipe da DISE mostrou muita competência e abnegação para realizar o trabalho que fez com que essa droga fosse tirada de circulação”, elogiou o delegado Paulo Buchignani.

{n}Lança perfume{/n}

O lança perfume é considerado entorpecente pela vigilância sanitária e seu uso é crime. Com fabricação proibida no Brasil É um solvente inalante considerado entorpecente, introduzida no organismo através da aspiração pelo nariz ou boca. Geralmente usada pelos adolescentes e a primeira experiência geralmente ocorre em casa, com a inalação de esmaltes, acetona, removedores, entre outros.

Uma cheirada profunda com a boca em um pedaço de tecido embebido pelo solvente, ou no próprio tubo, causa uma sensação de euforia e excitação, uma incontrolável dificuldade de se entender o que estão falando ao seu redor, seguido de um barulhinho constante, semelhante a um apito, ou assobio. O início do efeito, após a aspiração, é bastante rápido, normalmente de segundos a minutos (em, no máximo de 5 a 20 minutos já desapareceu); assim o usuário repete as aspirações várias vezes para que as sensações durem mais tempo. Passado o efeito, vem uma ressaca, eventualmente semelhante a do álcool.

Pessoas que usam com freqüência (geralmente em baladas) apresentam apatia, têm dificuldade de concentração e déficit de memória, lesões da medula óssea, do fígado, dos rins e dos nervos periféricos que controlam os músculos, além de fazer o número de batimentos cardíacos aumentar, podendo levar o usuário ? morte por síncope cardíaca.