DISE apreende mais de 1,9 kg de maconha em operação

Ao realizar uma operação de busca e apreensão visando localizar substâncias entorpecentes em uma residência na Rua Carmino Thadei, na região do Jardim Peabiru, os policiais especializados da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) fizeram a apreensão de 1,919 kg de maconha.

A droga estava dividida em dois tabletes (tijolos) prensados (um inteiro e outro já pela metade) pesando 829 e 500 gramas, respectivamente; uma porção bruta pesando 46 gramas; 250 “parangas” já embaladas e prontas para a venda em “biqueiras” (424 gramas) e outras 13 “parangas” maiores pesando 120 gramas. Também foi apreendida uma balança de precisão e dezenas de saquinhos plásticos para embalagem do entorpecente.

Segundo o delegado Paulo Buchignani o proprietário da droga é um cidadão alcunhado de Luquinha bastante conhecido nos meios policiais. Embora não tenha sido capturado na operação, deverá ser preso nos próximos dias. Ele mantinha a fábrica de droga naquela casa e tinha como comparsa um rapaz de nome Tiago que freqüenta esta casa que pertence à sua tia. Para não atrapalhar a conclusão do trabalho investigativo os nomes completos dos envolvidos permanecerão em sigilo (uma vez que não houve o flagrante) até que as prisões sejam decretadas pelo juiz da Vara Criminal.

“Também já temos o conhecimento da participação de outras pessoas envolvidas com o processo de fabricação das “parangas”, que era feita naquela casa que é dividida. De um lado mora a tia do principal acusado de guardar a droga e outros dois cômodos  separados eram usados para embalagem da maconha”, explica Buchignani, que trabalhou ao lado do delegado Carlos Antônio Improta Julião Filho, que irá presidir o inquérito policial,  e dos policiais civis da delegacia especializada.