DISE apreende dois quilos de pasta base de cocaína

Fotos: Valéria Cuter

Um trabalho investigativo muito bem arquitetado pela equipe de policiais especializados da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) de Botucatu resultou na prisão de um rapaz chamado Vitor de Bianck, de 27 anos, na rodovia vicinal Pedro Bosco, na alça de acesso ao trevo da SP-209 Rodovia João Hipólito Martins – Castelinho.

Os policiais tinham a informação de que Bianck sairia de Sorocaba para trazer droga para Botucatu, num carro VW Fox, placas BXV-2549, de São Paulo. Campanados em um determinado trecho da rodovia os policiais perceberam a passagem do Fox e iniciaram o acompanhamento em um carro descaracterizado mantendo uma distância prudente para não despertar suspeitas.

A abordagem foi feita sem que houvesse tempo para qualquer reação por parte do condutor. Na revista ao interior do carro foi localizado no painel frontal do veículo, três tabletes de pasta de cocaína pesando dois quilos. Essa droga, segundo o delegado Paulo Buchignani, depois de “batizada” com adição de outros produtos poderia dobrar o peso (quatro quilos) e ser transformada em 12 mil porções, que vendidas totalizariam R$ 120 mil. Com Bianck havia um telefone celular que está sendo periciado e R$ 120,00.

O delegado Paulo Buchignani que comandou a ação policial na rodovia, destacou que o indiciado já estava sendo investigado há muito tempo e não foi esta a primeira vez que traz droga de Sorocaba para Botucatu. “Nós tínhamos a convicção de que a qualquer momento ele seria preso e isso veio a acontecer, pois sabemos que é um grande fornecedor de droga em Botucatu. Caso seja condenado e é o que esperamos, ele poderá pegar uma pena que varia de 05 a 15 anos de reclusão”, salientou Buchignani.

Na delegacia, antes de ser recolhido ? cadeia transitória de Itatinga, Bianck alegou que morou por 18 anos em Botucatu, onde têm familiares e vive em Sorocaba há 09 anos. “A gente tem que reconhecer quando perde e que a polícia fez bem o trabalho dela, agindo com muita lisura e sem agressão”, disse o indiciado sem revelar a origem da droga e em qual ponto da Cidade seria entregue. “Agora não adianta desespero. Vamos enfrentar a Justiça e ver no que vai dar”, complementou.