DISE apreende de 1.700 gramas de crack e 601 gramas de cocaína

Uma grande operação realizada pela Polícia Civil de Botucatu através da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE), na tarde desta sexta-feira, resultou na prisão de um casal que veio da cidade de Ribeirão Preto, trazendo 1.700 gramas de crack em três “tijolos” e 601 gramas de cocaína em pó. Com o crack seria possível confeccionar até 5 mil pedras para venda direta ao usuário. Já com a cocaína poder-se-ia fazer algo em torno de 1.500 porções.

Um trabalho investigativo levou os policiais da delegacia especializada ? Praça da Matriz, na região central de São Manuel, em frente a um hotel, onde a droga iria chegar. Policiais espalhados em campana pelo local, perceberam a chegada de um veículo Saveiro, com placas de Ribeirão Preto e realizaram a abordagem.

Pego de surpresa, o casal não teve tempo de esboçar nenhuma reação, nem tentar ocultar a droga que estava embaixo do banco traseiro do carro. Receberam voz de prisão em flagrante: Edilaine Borges de Oliveira, 23 e Tiago Siqueira, 27. No comando da operação esteve o delegado Paulo Buchignani, que trabalhou no caso com os investigadores Pelares, Rossi, Bassetto, Valmir, João e o escrivão Márcio.

Em depoimento, o casal se contradisse e um procurou imputar a propriedade do entorpecente ao outro. “Eu só pedi uma carona pra ele (Tiago), pois precisava visitar um parente em São Manuel e paguei os pedágios e a gasolina. Não tinha conhecimento de que havia droga dentro do carro. Fiquei apavorada quando a polícia chegou. Não tenho nada com isso”, defendeu-se a mulher.

Já Tiago Siqueira disse que pela manhã emprestou seu carro a Edileine, que seria sua amiga, e no início da tarde a mulher pediu que ele a trouxesse para São Manuel. “Não sei quem colocou a droga no carro, mas ele (o veículo) foi emprestado a ela. Eu só estava fazendo um favor pra ela e caí de gaiato nessa história. A droga não é minha, é dela”, garantiu o indiciado.

Porém, a polícia não tem nenhuma dúvida de que ambos estão envolvidos diretamente na entrega dessa droga. “O trabalho investigativo que fizemos não deixa qualquer dúvida de que os dois estão envolvidos, diretamente, com a entrega desse entorpecente que seria feita na cidade de São Manuel. Um procura jogar a culpa no outro, mas ambos estão 100% envolvidos. O trabalho continua para detectar para quem a droga seria entregue”, disse o delegado Paulo Buchignani.

Depois de prestar depoimento, os dois foram enquadrados em crime de tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico. Edilaine foi recolhida ao presídio feminino de Itatinga, enquantoTiago Siqueira ficou preso na Cadeia Pública de São Manuel. Por estes crimes, caso haja condenação, o casal pode pegar uma pena que varia de 5 a 15 anos de reclusão.

Fotos: David Devidé