DIG prende ladrão que assaltou usando máscara de bruxa

Foi através da gravação de uma fita de uma tentativa de roubo cometido contra a Lanchonete Milênio, na Cohab I, que o Serviço de Inteligência da Polícia Civil de Botucatu, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), conseguiu esclarecer dois crimes de roubo ? mão armada cometido contra o Supermercado Primavera, na Rua Mirabel Camargo Pacheco, na Cohab 5.

Essa fita foi apresentada na DIG pela Guarda Civil Municipal (GCM) e baseado nas características do marginal, os investigadores chegaram até o responsável pelos assaltos. No primeiro, ocorrido neste final de semana, o ladrão entrou no supermercado usando uma touca, uma pistola de brinquedo e uma máscara de bruxa no rosto, rendeu o proprietário e levou R$ 100,00. Cerca de 15 dias antes ele já havia invadido o mesmo supermercado e roubado R$ 400,00.

Na manhã desta terça-feira (14) os investigadores se deslocaram até a casa do acusado na Rua 14, nº 49, na Cohab 5 e efetuaram a sua prisão. Pego de surpresa ele não teve como reagir ? prisão. Trata-se de Gerson Fernando dos Santos, de 35 anos de idade, conhecido como Gerinho ou Gersinho, possuidor de outros antecedentes.

Agora a polícia continua o trabalho investigativo para detectar se Gerinho teria cometido outros assaltos na Cidade, que ainda carecem de esclarecimento. “O trabalho não para. Como estamos trabalhando para elucidar casos de furtos e roubos, não está descartada a possibilidade de que ele (Gerinho) esteja envolvimento em outros crimes desta natureza”, frisou o delegado titular da DIG, Celso Olindo, que contou com a participação da equipe de investigadores especializados, para efetuar a prisão do indiciado.

{n}Assaltante diz que rouba para comprar crack{/n}

Preso na DIG, Gerinho revelou ? reportagem do {n}Jornal Acontece{/n}, uma realidade que assola muitas pessoas que são dependentes químicos. Disse que está sem trabalho e encontrou no roubo a maneira de arrumar dinheiro para comprar crack. “Sou pizzaiolo e já trabalhei em uma das mais respeitadas pizzaria da cidade. Infelizmente comecei a fumar crack, perdi o emprego e não consigo parar”, afirma.

Diz quem precisa de apoio para largar do vício. “Sei que vou preso, mas preciso de apoio para poder deixar o vício. Já fiquei alguns dias sem fumar, mas não aguentei e voltei. O crack escraviza a gente. Na cadeia sei que não vou poder usar o crack e então não sei como vai ser para superar”, disse Gerinho, emendando: “Eu preciso de ajuda!”.

Fotos: Jornal Acontece Botucatu