DIG prende assaltante do Parque dos Pinheiros

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG), quando realizava a “Operação Madrugada”, visando capturar marginais que teriam assaltado um malote de R$ 70 mil das Lojas Magazine Luiza de São Manuel acabou se deparando com um jovem de 18 anos já conhecido nos meios policiais por suspeita de ter cometido um roubo, seguido de lesão corporal, no Parque dos Pinheiros em fevereiro deste ano. A pedido da própria polícia o nome ou a foto desse cidadão não serão publicadas em razão do mesmo ter 17 anos na ocasião do roubo.

O adolescente agiu com muita violência para subtrair R$ 400,00. Na abordagem, ele apanhou uma pedra e desferiu um golpe contra a cabeça da vítima, que foi socorrida pela equipe de regate do Corpo de Bombeiros até o Pronto Socorro (PS) da Unesp, com suspeita de traumatismo craniano, onde permaneceu internada até se recuperar do golpe.

Como nesse intervalo entre o assalto e sua detenção ele completou a maioridade, o que vale é o dia que cometeu o crime. Mesmo tendo confessado a autoria do delito ele acabou sendo liberado, já que não foi constatado que ele cometeu crime após completar os 18 anos. Isso porque os crimes cometidos na adolescência não contam na maioridade. “O crime foi esclarecido, mas força de lei, o autor não foi indiciado”, lamentou o delegado titular da DIG, Celso Olindo.

Embora durante a “Operação Madrugada” várias pessoas tenham sidos detidas para averiguação (algumas, inclusive, encaminhadas ? São Manuel para reconhecimento), os assaltantes não foram identificados e o assalto ao malote continua sendo investigado, conjuntamente, pelas polícias de Botucatu e São Manuel.

“O trabalho investigativo não para e cedo ou tarde nós conseguiremos o esclarecimento. Determinados casos são mais complexos, por falta de testemunhas e necessitam de um trabalho investigativo mais minucioso para encontrar pistas e chegar até os criminosos”, frisou Celso Olindo. “Felizmente estamos conseguindo elucidar a grande maioria dos crimes dentro de um prazo que consideramos bastante razoável”, acrescentou o delegado da DIG.