DIG prende acusado de comandar o tráfico em Areiópolis

Na manhã desta sexta-feira, os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Botucatu, Vitor, Caio, Virgílio e Marcos, sob o comando do delegado titular Celso Olindo, se deslocaran até a cidade de Areiópolis para cumprir um mandado de prisão e de busca e apreensão expedido pela Justiça, contra um cidadão de nome Marcos César de Oliveira, conhecido pela alcunha de “Tiquinho”.

A polícia informa que esse rapaz foi citado em outra operação desenvolvida esta semana em Areiópolis onde foi preso e enquadrado em crime de tráfico de entorpecentes,
Fernando Henrique de Oliveira, de 21 anos de idade, na Rua João José Sérgio, região da Cohab I, naquela cidade.

Com esse cidadão a polícia havia apreendido oito blisters (cápsulas de cocaína) e ao ser questionado sobre a origem da droga revelou que o entorpecente era para seu próprio consumo e seria o pagamento das vezes em teria se deslocado até a cidade de Lençóis Paulista para buscar drogas, para um rapaz alcunhado de “Tiquinho”.

Baseado nessa informação o delegado titular da DIG identificou e solicitou a prisão temporária de Marcos Cesar “Tiquinho”, assim como o mandado de busca e apreensão. Nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira os policiais invadiram sua casa e surpreenderam o acusado que estava dormindo e não teve tempo de esboçar nenhuma reação ou qualquer tentativa de fuga.

No quarto os policiais localizaram um “tijolo” de 44 gramas de cocaína, três pedras de crack, um prato com resíduos da droga (onde as pedras eram confeccionadas) e 99 saquinhos de sorvetes que, comumente, são utilizados para armazenar a droga para venda direta ao usuário.

“Acreditamos que esse indivíduo comanda o tráfico e é o responsável pelo abastecimento na cidade. Agora nosso trabalho continua para sabermos até onde essa ramificação chega. Temos informações de que a droga vem da cidade de Lençóis Paulista e ele pertence a uma quadrilha que atua na região”, revelou Celso Olindo sem revelar maiores detalhes, para não comprometer o trabalho investigativo que está sendo feito.