DIG identifica assaltante da banca de jornais do ”Bairro”

O gaúcho Luciano Loreno Bueno, de 32 anos de idade, foi identificado como o autor de uma roubo ocorrido no dia 18 de junho último, contra a banca de jornais e revistas que funciona na Praça Cavalheiro Virgínio Lunardi, na Vila dos Lavradores, local de grande fluxo de pessoas. O trabalho investigativo foi feito pelo policial Marcos e Vitor, com o delegado Geraldo Franco Pires, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

No dia dos fatos, com mão na cintura, como se estivesse segurando uma arma, o marginal rendeu a proprietária, anunciou o assalto e levou R$ 40,00 em dinheiro. “Fomos checando as informações e montando o quebra-cabeças até constatarmos que ele era o autor do crime”, frisou o policial civil Marcos.
Esse rapaz foi preso em flagrante no dia 22 de junho em uma operação da Guarda Civil Municipal (GCM) com a inspetora Cintia e os agentes Paula e Amâncio. Ele havia estourado a porta da banca de jornais e revistas da Praça da Igreja Nossa Senhora Menina, na Rua João Moratto da Conceição, região da Vila Maria.

Nesse dia, por volta das 7 horas a proprietária da banca de jornais e revistas instalada naquela praça, foi informada de que havia um rapaz arrombando as portas do seu estabelecimento comercial. Quando chegou com uma amiga o marginal já estava dentro da banca e ao perceber sua presença saiu correndo levando várias carteiras de couro.

Ela acionou a Guarda Municipal que, depois de um trabalho de patrulhamento, localizou o acusado no Centro de Atendimento ao Migrante Itinerante e Mendicância (CAMIM), onde havia pernoitado com sua companheira. Ele foi apresentado ao delegado da 2ª Central de Polícia Judiciária (CPJ), Antenor de Jesus Zeque e enquadrado em crime de furto qualificado, sendo determinado seu recolhimento ? Cadeia Pública.

Além desses dois crimes contras as bancas de jornais revistas, é possível que esse cidadão tenha praticado outro crimes semelhantes na cidade. “No caso das bancas de jornais os modos operantes foram diferentes, mas com objetivos semelhantes e outros crime que possam ter sendo cometidos por ele estão sendo checados”, disse o policial Marcos. “Como ele tem os olhos muito claros (azuis) ele procurava ocultar o rosto”, completou Vitor.

Vale lembrar que quando Luciano Loreno Bueno foi preso estava com dois RGs com nomes diferentes e ao ser preso alegou que vinha do Rio Grande do Sul e havia parado em Botucatu para um descanso. Confessa que já foi preso por crime de roubo e permaneceu preso por cinco meses e tem outras passagens por crimes de furtos e roubos. Nos dois crimes em que é acusado em Botucatu negou as autorias.

Fotos: Valéria Cuter – arquivo