DIG desmascara adolescente que “inventou” roubo

Bastou poucos minutos de conversa para que os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), constatassem uma falsa comunicação de crime de roubo ? mão armada feita por uma adolescente de 17 anos de idade, por volta das 23h30 de segunda-feira (10), na Rua Dr. Costa Leite, região central da cidade (foto), atendida pelos policiais militares Rua e Bianchi.

Em depoimento feito no Plantão Permanente ao delegado Antenor de Jesus Zeque a menina revelou que estava caminhando quando foi abordada por duas mulheres gordas e negras acompanhadas de um individuo magro de cor branca que a agarrou e colocou uma faca em seu pescoço, anunciando o assalto. Como a adolescente alegou que não carregava nenhum objeto de valor, teria sido agredida fisicamente pelas duas mulheres. Após revirarem a mochila da vítima o homem e as duas mulheres teriam fugido tomando rumo ignorado.

Entretanto, ao se apresentar na DIG nesta terça-feira (11) para revelar o crime e tentar fazer o reconhecimento do trio de assaltantes pelo álbum fotográfico, ela caiu em contradição e acabou revelando que o roubo tinha sido uma farsa. Ela pegou a motocicleta do irmão sem autorização, ficou com medo e acabou inventando o roubo. As marcas que trazia nos braços foram feitas por ela própria para dar veracidade a história.

“Logo que iniciamos a conversa percebemos que a adolescente estava insegura ao nos revelar contar como o assalto aconteceu. Logo percebeu que não podia continuar mentindo e decidiu falar que, na verdade, não houve crime nenhum. Ela inventou a história do roubo e se auto lesionou, sendo o caso encerrado”, disse o investigador Caio que trabalhou ao lado dos policiais Vitor e Virgílio, supervisionados pelo delegado Celso Olindo.