DIG apreende mais de 330 quilos de fio de cobre furtado

Uma operação realizada pela equipe especializada da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) terminou com a prisão de três pessoas que foram apontadas como co-autoras do furto de dezenas de metros de fios de telefone, na rodovia vicinal Alcides Soares, principal meio de ligação entre Botucatu a Vitoriana/Rio Bonito. O crime teve registro em Boletim de Ocorrência no dia 27 de maio deste ano. Estiveram nessa operação os investigadores Marcos, Castilho, Afonso, Django e Sheila, além o delegado Celso Olindo.

Durante o trabalho investigativo os policiais levantaram que três pessoas estariam envolvidas nesse crime e chegaram até uma casa na Rua José Klefens, na região do Jardim Cristina. Nesta casa onde mora Ronegian Chagas Silva, de 23 anos, foi apreendido 339 quilos de fio de cobre, sem a capa plástica que foi queimada.

No mercado negro cada quilo de fio de cobre queimado vale aproximadamente R$ 9,00. Se não estiver queimado chega a valer R$ 15,00, sem a capa plástica. Embora a renda seja menor os ladrões optam por queimar a capa plástica para evitar o trabalho de “descascar” o cobre. Essa queima, geralmente é feita em locais ermos na zona rural do município.

Segundo apurou a polícia, Ronegian receberia algo em torno de R$ 500,00 para guardar esse material. Quem trouxe o cobre queimado até a casa de Ronegian teria sido seu irmão Deivid Alexandre Silva, 22, e receberia R$ 100,00 pelo transporte. Já a autoria do crime foi assumida por Raphael Agostinho Silva, 20. Ele quem teria acertado em pagar os dois irmãos pelo transporte e a guarda do material furtado.

A história, porém, não convenceu a polícia. “Esta é a história que eles contaram, mas pela experiência que temos seria muito difícil um furto dessa natureza ser cometido por apenas uma pessoa. Então, o trabalho investigativo não para, pois existe a suspeita de que eles cometeram outros furtos semelhantes”, ressaltou o investigador Marcos.

O policial revela que o crime deixou o Distrito de Vitoriana sem telefone por várias horas. “Hoje em dia, o telefone é fundamental em uma casa. Os moradores ficaram isolados e se precisassem de uma ambulância ou Corpo de Bombeiros eles teriam problemas. Por isso o esclarecimento do crime é importante, mas nosso trabalho prossegue”, ressaltou marcos.

De acordo com o delegado Celso Olindo, Raphael e Deivid foram enquadrados em crime de furto e Ronegian em receptação de produto de furto. “Como não houve o flagrante nenhum deles foi encaminhado ? cadeia, por enquanto, e vão responder o processo em liberdade”, frisou o delegado Celso Olindo. “Mas, eles continuam em investigação sob suspeita de terem praticado outros crimes e nas próximas horas poderemos ter novidades”, complementou Olindo.

Fotos: Fernando Ribeiro