Depois de dez anos réu será julgado por tentativa de homicídio

Nesta quinta-feira, sete pessoas entre homens e mulheres (de 21 convocadas pela Justiça) de diferentes segmentos da sociedade de Botucatu irão compor o Conselho de Sentença (Júri Popular), para o julgamento do réu Mário Pinto de Oliveira, atualmente com 48 anos de idade, denunciado pela Promotoria Pública como o autor de uma tentativa de assassinato cometida contra Luiz Eduardo Cantelli, na ocasião dos fatos, com 19 anos de idade.

Na presidência dos trabalhos estará atuando a juíza Adriana Toyano Fanton Furukawa, tendo na acusação o Promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino. A defesa do réu será feita pelo advogado criminalista, Roberto Fernando Bicudo, que pretende defender a tese de legítima defesa.

Consta na denúncia que no dia 22 de junho de 2000, por volta das 23h30, na Rua Indalécio Nunes da Silva, o réu Mário Oliveira, portando uma faca desferiu um golpe contra o peito da vítima, com intenção de matá-lo.

Ainda está descrito que, na data anterior aos fatos, a vítima se encontrava em um bar, juntamente com um cidadão de nome Fábio Fernando, ex-cunhado do réu Mário Oliveira. Num determinado momento, Cantelli teria dito a Fábio que ele tinha uma irm㠔gostosa”. Como também estava no interior do bar, Mário interveio e repreendeu Cantelli, já que a mulher que ele chamara de “gostosa” era sua ex-esposa.

No dia seguinte os dois voltaram a se encontrar em uma festa na residência de um rapaz chamado Benedito Campinas, na Rua Indalécio Nunes da Silva, quando Mário Oliveira, sacou a faca que portava na cintura e desferiu um golpe contra o peito de Cantelli, que por muito pouco não perdeu a vida. Mas, foi medicado, não correndo risco de morte.

Todas as pessoas que se envolveram nessa tentativa de assassinato, inclusive a vítima, deverão estar presentes para assistir ao julgamento no plenário ou atuar como testemunha para responder os questionamentos do promotor ou do advogado de defesa.