Delegado Seccional nega mudanças no comando dos distritos policiais

O Delegado Seccional de Polícia, Antônio Soares da Costa Neto, que comanda a Polícia Civil em 13 cidades da região negou na manhã desta quinta-feira que estará promovendo mudanças entre os delegados em diferentes distritos policiais da cidade, a partir do dia 1º de setembro.

Foi aventado que as mudanças de delegados ocorreriam em três distritos da cidade: O delegado titular do 2º Distrito Policial, no Jardim Paraíso, Marcos Mores, assumiria o 1º DP na região central da cidade tem no comando o delegado Marcelo Lanhoso de Lima, que por sua vez, assumiria o 3º DP, na Cohab I, que é administrado por Antenor Zeque e este assumiria o 2º DP, no Jardim Paraíso.

{bimg:9416:alt=interna1:bimg}

“Não existe nada programado neste sentido. Estou satisfeito com o trabalho. A notícia dessas mudanças chegou a ser ventilada e fui procurado por delegados, mas nada disso existe e nenhuma mudança será efetuada, neste momento. Sou favorável que os delegados mudem, periodicamente, de distritos para conhecerem todas as regiões da cidade, mas não vejo motivos para mudanças agora. A novidade é que o delegado José Sérgio Palmieri, que responde pelo distrito de Porangaba, passou a trabalhar, também, como delegado assistente do 1º DP”, frisa Soares Neto.

{bimg:9418:alt=interna2:bimg}

Embora negue as mudanças neste momento, Soares Neto não descarta a possibilidade de que isso venha isso acontecer, futuramente. “A gente está sempre analisando a produtividade de cada distrito e se eu entender que será necessário fazer alguma mudança, não tenha dúvida de que farei. Se precisar mudar eu mudo”, observou o delegado seccional.

{bimg:9419:alt=interna3:bimg}

Ele revela que terá uma reunião com os delegados dos sub-distritos da região na tarde desta quinta-feira e outra reunião com os delegados que atuam em Botucatu na sexta-feira. “São reuniões que procuramos fazer todos os meses. Reuniões de trabalho, não de mudanças”, observou o delegado seccional. “Todos os meses procuro reunir os delegados que fazem parte da nossa seccional, para cobrar a produtividade e para que possam explanar suas dificuldades e tentar encontrar meios para tentar resolver os problemas que nos são colocados”, complementou Soares Neto.