DDM investiga padrasto acusado de abusar de enteada de 10 anos

A Delegacia de Defesa da Mulher, está trabalhando para elucidar um caso de estupro que teria ocorrido na região do Jardim Santa Elisa. A vítima foi uma menina de 10 anos de idade e o acusado um homem de 27 anos, que seria o padrasto desta menina.

Esse caso está nas mãos da delegada titular da DDM, Simone Alves Firmino Sampaio (foto), que nas próximas horas irá convocar as partes envolvidas para que os depoimentos sejam colhidos e o inquérito policial elaborado. A denúncia contra esse cidadão foi feita pela mãe dessa criança que teria sido molestada.

De acordo com esta mulher a filha passou a ter comportamento estranho nos últimos dias e ao questionar a filha detectou que a menina estava sendo molestada. Segundo a mulher o seu companheiro estava há vários dias “passando a mão” nas partes genitais da criança e nos seus peitos. Não bastasse isso, ele se masturbava na frente da criança.
A delegada aguarda o resultado do exame de corpo de delito que foi feito na menina para averiguar ver se foi caracterizada a violência sexual contra a menina, mas adianta que para que o acusado responda por crime de estupro, não é necessário que o ato sexual, propriamente dito, seja consumado.

“Em casos desta natureza, pela nova lei do estupro, basta que o acusado passe a mão nos órgãos genitais da vítima para que o crime seja caracterizado. O inquérito foi instaurado para se apurar a veracidade dessa denúncia que é muito greve. Vamos ouvir a menina, o acusado, a mãe e outras pessoas que conviviam com aquela família para tomar as medidas que forem necessárias”, comentou Simone Sampaio.

Como se trata um crime contra os costumes que é considerado hediondo e, por isso, de grande complexidade, o nome das pessoas envolvidas no inquérito será mantido em sigilo até que a Delegacia da Mulher conclua o trabalho investigativo.

Foto: arquivo Acontece