DDM efetua quatro prisões por estupro em 30 dias

Fotos: Valéria Cuter

Na tarde desta quarta-feira (26) a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), de Botucatu, através de um trabalho realizado pela delegada Simone Alves Firmino Tuono e os policiais Janes Castilho e Jofre, efetuaram a prisão do lavrador João Batista de Oliveira (foto) , de 30 anos de idade, acusado de ter estuprado por várias vezes sua enteada de 13 anos de idade.

Aponta o Boletim de Ocorrência (BO) que esse cidadão, que mora na Fazenda Monte Alegre, zona rural da Cidade se aproveitava do sono de sua companheira (mãe biológica da menina) para cometer os abusos. “Como a mulher é alcoólatra ele a embebedava para abusar da adolescente. Fomos informadas do caso e efetuamos a prisão. O exame de corpo de delito confirmou o defloramento da menina”, conta a delegada. Após ser ouvido pela delegada e indiciado em crime de estupro de vulnerável, Oliveira foi conduzido ? Cadeia Pública de Porangaba.

Este foi o quarto caso de estupro de vulnerável registrado nos últimos 30 dias, que foram esclarecidos pela equipe especializada comandada pela delegada Simone Tuono e que terminou na prisão dos acusados. Todos aguardam julgamento em Porangaba, onde estão outros presos da região que respondem por crimes contras os costumes e não podem ser colocados em celas de cadeias comuns com outros detentos para não sofrerem represálias.

{bimg: 34670:alt=interna:bimg}

{n}{tam:25px}Vila dos Lavradores{/n}{/tam}

Na tarde do dia 10 de agosto o pedreiro Sérgio Aparecido Amaro (foto), de 42 anos de idade, foi preso quando estacionou seu carro na Rua Domingão Gonçalves, na região da Vila dos Lavradores. Ele foi acusado de cometer abuso contra uma menina de 11 anos de idade. A investigação apurou que esse cidadão morava com a mulher (tia da vítima) nos fundos da casa da mãe da menina e aproveitava as oportunidades que tinha para levar a menina para sua casa e se trancar com ela no quarto.

Descreve o BO que o acusado fazia ameaças caso a menina relatasse o ocorrido e ela se sentia culpada por tudo que estava acontecendo. Tocava nas partes genitais da menina e fazia com que ela tocasse nas dele. Os crimes sexuais vinham sendo cometidos há vários anos, desde que ela tinha 6 anos de idade. Os abusos só teriam cessado porque ele foi condenado por crime de assalto ? mão armada e ficou 4 anos e 6 meses preso. Saiu da prisão no início deste ano e os abusos teriam continuado. Ele também já respondeu por porte ilegal de arma e furto.

{bimg: 34671:alt=interna:bimg}

{n}{tam:25px}Rio Bonito{/n}{/tam}

No dia 23 de agosto um senhor de 59 anos de idade, chamado Sérgio Daré (foto), foi apontado como autor de abuso contra seu próprio filho de 10 anos de idade, na Rua José Bernardo Rodrigues, região do Rio Bonito Campo e Náutica. No exame de corpo de delito foi constatado que o ato sexual com a criança foi consumado e o menino estava com lesões.

O caso revoltou até mesmo os policiais especializados da DDM acostumados a atender crimes desta natureza, já que a criança ficava em estado de pânico ao chegar perto do pai e tremia muito. “No início foi difícil, pois a criança estava com muito medo de falar do pai. Gradativamente, ele foi se soltando e nos contou como estava sendo abusado”, relatou a policial Janes.

{n}{tam:25px}Vitoriana{/n}{/tam}

Já na Estrada Belém da Vala, Bairro de Vitoriana, o acusado de ter cometido violência sexual contra uma menina de 12 anos foi Valdenio Matoso Martins, de 18 anos de idade, que foi preso dia 24 de outubro. Essa menina seria colega de uma sobrinha do acusado, que frequentava a casa. Também nesse caso o exame de corpo de delito confirmou a conjunção carnal.

Destaca o BO que Valdenio convidava a menina para passar a noite na sua casa para brincar com sua sobrinha e quando todos estavam dormindo ele se deitava na cama com ela e praticava os abusos. No início a menina não contou o que estava acontecendo e não denunciou o rapaz por ter medo e se sentir envergonhada.