Criminosos usam dados de pacientes do HC de Botucatu para aplicar golpes em parentes das pessoas internadas

Notícia atualizada às 20h24 

Golpistas estão utilizando dados de pacientes que estão internados no Hospital das Clínicas de Botucatu e entrando em contato com as famílias se passando por médicos e funcionários e pedindo depósitos em dinheiro para custear exames que supostamente seriam realizados nos pacientes internados.

No Primeiro Distrito Policial foi registrado um caso em que a pessoa não verificou as informações no hospital e acabou fazendo deposito em uma conta no valor de R$ 1.500,00 e somente percebeu o golpe quando foi até o HC comunicar que tinha pago os exames que seu marido internado supostamente faria.

Em um outro caso a vítima desconfiou e disse para o golpista que pagaria direto no hospital, e ela acabou percebendo que se tratava de um golpe e não fez o deposito para o criminoso.

Segundo informações das próprias vítimas, os funcionários do Hospital das Clínicas informaram que várias pessoas tinham sido vítimas desse tipo de golpe. Ainda segundo as vítimas, a unidade hospitalar não informou como os golpistas sabiam os dados dos pacientes que estavam internados e como sabiam os dados pessoais dos familiares e seus telefones.

As vítimas foram contatadas por telefone celular através de números restritos e as contas para onde o dinheiro seria enviado são de outros estados. O caso está sob investigação da equipe do delegado Marcelo Lanhoso, da 1ª Central de Polícia Judiciária.

 

A assessoria de imprensa do HC emitiu uma nota oficial sobre o caso. Confira.

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) esclarece que em nenhuma situação seus funcionários, médicos ou enfermeiros estão autorizados a entrar em contato com familiares de pacientes internados em suas enfermarias ou leitos das unidades de terapia intensiva (UTI) para solicitar depósitos em dinheiro ou transferências bancárias com a justificativa de custear a realização de procedimentos médicos ou cirurgias. O Hospital também não fornece, em hipótese alguma, dados de seus usuários a terceiros. Todos os pacientes têm sido orientados, no momento da internação, para não acreditarem nesse tipo de telefonema. Essas abordagens têm sido feitas por golpistas e devem ser informadas pelas vítimas à Polícia por meio do registro de um Boletim de Ocorrência.

HCFMB