Corretor de imóveis é assassinado e jogado em canavial

Fotos: Valéria Cuter

Na tarde deste domingo (27) uma denúncia chegou até a Central de Atendimento (telefone 199) da Guarda Civil Municipal (GCM) revelando que um homem estava caído ? beira de uma estrada de terra num canavial ao lado de uma caminhonete Montana, placas DZI-2246, de Botucatu, no final da Avenida Prefeito Joaquim Amaral Amando de Barros, no Jardim Cambuí. A referida estrada de terra está sendo usado como depósito de lixo.

No local os agentes detectaram que o corretor de imóveis Laurindo Pires Marques de 68 anos de idade, havia sido assassinado e trazia no pescoço marcas de asfixia mecânica (estrangulamento), assim como seus pulsos estavam feridos, como se tivesse sido amarrado. Pela situação cadavérica do corpo a possibilidade é que o crime tenha sido cometido durante a madrugada. Outra hipótese levantada é que o homem teria sido assassinado em outro local e jogado na estrada, já que havia sinais de que teria sido retirado do veículo Montana e arrastado até o canavial.

A GCM que esteve no local com o inspetor Barcaça e agentes Ednéia, Maffei, Da Silva, Lazarini e Leandro identificou a vítima pelo nome do documento da Montana que estava ao lado do corpo e a identificação foi confirmada com um documento (Carteira Nacional de Habilitação – CNH) encontrado no porta-luvas do veículo. Também prestou apoio a Polícia Militar com o tenente Bruno, sargento Rosivaldo, cabos Fátima, Carvalho e Angélica e soldados Alex, Trovão e Marquesini.

A Polícia Técnica Científica compareceu ao local para levantar dados e confeccionar o laudo pericial que poderá ajudar a esclarecer o crime. O Boletim de Ocorrência (BO) foi elaborado pelo delegado Nelson Burin Neto e o caso está sendo investigado pela equipe especializada da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).