Corpo encontrado em decomposição é identificado

Vinícius Ricardo Adauto, de 26 anos de idade, conhecido como “Magrão”. É esse o nome do cadáver em adiantado estado de decomposição encontrado na manhã desta quinta-feira (9) em um bosque de mata fechada no final da Rua Germino Daltin, região da Vila Cidade Jardim, nas proximidades dos blocos dos “predinhos” do CDHU.

O corpo foi localizado pela Guarda Civil Municipal (GCM), acionada por uma testemunha que passou pelo local e sentiu um forte mau cheiro. O corpo estava enterrado somente com a cabeça de fora e ao ser retirado foi constatado que havia dentes e costelas quebradas, assim como estava com traumatismo craniano, caracterizando assassinado por espancamento. No local também compareceram os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Corpo de Bombeiros e Polícia Técnica Científica.

“Pela situação em que encontramos o cadáver não temos dúvidas de que estamos diante de um homicídio. Por isso, o trabalho investigativo já foi iniciado com a coleta de informações com testemunhas para descobrir as circunstâncias dessa morte”, comentou o delegado titular de DIG, Celso Olindo.

No dia dos fatos, enquanto era feito o resgate do corpo, a mãe de Vinícius Adauto, uma senhora chamada Rosângela informou a polícia que o filho, usuário de drogas, estava desaparecido há mais de três semanas e vinha com freqüência ? Vila Jardim. Na ocasião o delegado Celso Olindo, não descartou a possibilidade de ser a mesma pessoa.

“A mulher nos passou alguns dados como tatuagens, altura, cor dos olhos e cabelos, porém não foi possível confirmar em razão do estado de putrefação do corpo e estamos investigando. Possivelmente, nas próximas horas teremos novidades sobre este caso”, foi o que disse o delegado sobre a suspeita da mulher.

Na tarde desta sexta-feira (10) o delegado revelou que após fazer o cruzamento de dados, já pode afirmar com segurança que o corpo encontrado é mesmo de Vinícius Adauto. “O trabalho investigativo nos levou a ter convicção da identificação do corpo, embora o reconhecimento visual seja impossível. Todo trabalho investigativo até agora nos levaram a ele e a família reconheceu o corpo. Nos próximos dias teremos a confirmação científica com o resultado do exame de DNA”, concluiu Olindo.