Cidadã é acusada de maus tratos contra crianças

Um caso registrado como maus tratos contra quatro crianças menores de 10 anos, seguido de ameaça, foi atendido pela Guarda Civil Municipal (GCM) Regina e Marco pela Rua João Ribeiro, região da Vila Pinheiro, tendo como indiciada uma mulher de 26 anos de idade, denunciada por vizinhos.

Aponta o relatório GCM que as assistentes sociais do Conselho Tutelar foram até  a casa desta mulher para resgatar as crianças e levá-las à Casa Transitória para receberam os cuidados necessários, porém foram recebidas com xingamentos e ameaçadas de agressão com um pedaço de pau.

Com a chegada dos agentes municipais a situação acabou contornada e o caso foi parar no Plantão Permanente da  Polícia Civil, onde a mulher foi ouvida e liberada.  O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e as crianças foram conduzidas à Casa Transitória e permanecem sob  os cuidados do juiz da Vara da Infância e Juventude, Josias Martins de Almeida Júnior.

A Casa Transitória de Botucatu que está instalada na Rua Pedro Delmanto, no Jardim Paraíso,  presta atendimento a crianças desde o nascimento até adolescentes com 18 anos incompletos, que estejam em vulnerabilidade social, sem distinção de raça, cor, credo religioso ou político, que foram retirados do convívio familiar pelo Conselho Tutelar, em casos específicos como agressões e maus tratos.

As razões para o Conselho Tutelar retirar uma criança da tutela de seus pais nunca são superficiais ou rotineiras. As situações e experiências que estes menores vivenciam, produzem culpa, baixa auto-estima e inúmeros medos, num momento em que se encontram, provavelmente, na fase mais frágil de suas vidas. Na entidade recebem assistência educacional, alimentação adequada, cuidados médicos, vestuário e recreação. A criança retirada de sua casa permanece na entidade por um determinado período até que o juiz da Vara da Infância e Juventude defina seu destino.