CGM detém adolescentes responsáveis pelo tráfico no 24 de Maio

Por volta das 17 horas desta quarta-feira, os agentes Trombaco, Pichinin, e Adeilson da Guarda Civil Municipal (GCM) realizaram um flagrante de tráfico de entorpecentes na Rua Rubens Tonini, altura do número 934, Bairro 24 de Maio. Os guardas efetuaram o flagrante mediante denúncia anônima passada ao telefone 199, sem ficha.

Quando chegaram ao local indicado pela testemunha os agentes perceberam que um adolescente fugiu ao perceber a chegada da viatura se refugou na sua casa. Os guardas fizeram o acompanhamento e no interior da residência estavam outros dois adolescentes. Um deles tinha mandado de apreensão por crime de homicídio (artigo 121 do Código Penal).

Com os adolescentes infratores os agentes aprenderam 40 porções de maconha, 16 pedras de crack, três telefones celulares, um DVD portátil, uma máquina de tatuar caseira, uma corrente de ouro e R$ 232,99 em dinheiro. Ao ver tudo que foi apreendido, a mãe de um dos meninos confessou que desconfiava que o filho estava envolvido com o tráfico de drogas.

Os produtos apreendidos e os três adolescentes foram encaminhados ao Plantão Permanente e apresentados ao delegado Geraldo Franco Pires, que os sindicou em crime de tráfico de entorpecentes determinando o recolhimento ? Cadeia Pública de São Manuel, onde estão no aguardo de vagas para que sejam internados pelo juiz da Vara da Infância e Juventude, em uma instituição que atende adolescentes infratores.

{n}Aumento de adolescentes no tráfico{/n}

{bimg:20641:alt=interna1:bimg}

O juiz titular da 1ª Vara Criminal e da Vara da Infância e Juventude, Josias Martins de Almeida Júnior, reconhece que vem existindo um aumento gradativo de adolescentes que se envolvem com o uso e tráfico de entorpecentes e o menor não é assistido como deveria ser e muitos acabam entrando para a criminalidade, incentivados, principalmente, por traficantes que oferecem o ganho do dinheiro fácil.

“Eles são levados ao crime, pois vêem a possibilidade de sustentar suas famílias e na maioria dos casos sustentar o próprio vício ocasionando um grave conflito social. A inclusão de adolescentes no tráfico de entorpecentes em Botucatu, no contexto atual, é preocupante. Quase todos os atos infracionais praticados por adolescentes estão relacionados ao tráfico. Posso dizer que são 90% dos casos”, explica o magistrado.

Ele entende que a situação é preocupante porque o tráfico tem acabado com a infância, tem acabado com a juventude do adolescente e afetado diretamente sua família. Hoje, segundo ele, as drogas, principalmente o crack, é um fator decisivo na prática do crime. Afirma que os atos infracionais mais graves envolvendo adolescentes como roubos, sequestros, homicídios, latrocínios, extorsão, estão relacionadas ao uso de drogas.

“Por causa disso, tenho sido rigoroso com essa situação e aplicado medidas de internação para que o adolescente tenha um atendimento médico, psicológico e de drogadição. Muitas vezes ao internar um menor por um determinado período, estamos, sim, protegendo sua vida. E não podemos nos esquecer que o adolescente que vem de uma família desestruturada está mais vulnerável para entrar na criminalidade. Tirar o adolescente desse ambiente é a nossa obrigação, é obrigação da sociedade”, finaliza.

Fotos: Macaru