Cemitério Portal é alvo da ação de ladrões de peças de bronze

Nas proximidades das comemorações do Dia de Finados, os jazigos particulares do Cemitério Portal das Cruzes, instalado na Avenida Dom Lúcio, região central da cidade, estão sendo alvo da ação de vândalos e ladrões de peças de bronze, principalmente, vasos.

A bem da verdade, isso acontece com relativa freqüência no ano, mas têm se intensificado com a proximidade de Finados e Boletins de Ocorrências (BO) narrando os furtos estão sendo feitos com mais intensidade nos últimos dias. O alerta veio do administrador do local, Décio Campos, que tem recebido reclamações dos munícipes com relação a furtos, pois estão sendo lesados.

Pessoas suspeitas de cometer furtos estão na mira da polícia e uma ação para coibir este tipo de crime está sendo desencadeada pela Guarda Civil Municipal (GCM), mas situação não é simples de ser contornada. Isso porque os ladrões não estão agindo somente no horário noturno.

Algumas ocorrências são vislumbradas durante o dia e não são raras as pessoas inescrupulosas que entram pela frente do cemitério circulando pelos seus corredores, observando as peças que lhes interessa. Depois saem despercebidas levando esses ornamentos de bronze geralmente em sacolas plásticas. O furto só é detectado quando as famílias visitam os jazigos. Em muitos casos, as vítimas preferem o anonimato e sequer o Boletim de Ocorrência é confeccionado.

No período noturno os marginais pulam o muro que é, relativamente, baixo para violar os jazigos. As peças em bronze acabam vendidas para a compra de drogas. Houve época em que até esqueletos, principalmente crânios, eram furtados. Também invadem o cemitério aqueles que fazem uso de substâncias entorpecentes como crack e maconha e os que praticam sexo nas estruturas dos túmulos.

Segundo Décio Campos, a fiscalização vem sendo feita tanto pela vigilância (interna) do cemitério como (externa) pela Guarda Civil e Polícia Militar, mas como área do cemitério é muito extensa, os marginais encontram diversos locais onde podem pular o muro e ficar escondidos praticando atos ilícitos.

“Essa atitude de invadir o cemitério havia diminuído, consideravelmente. Porém, nas últimas semanas temos recebido reclamações dos proprietários dos jazigos sobre o desaparecimento das peças de bronze”, revelou Campos. “Por isso estamos solicitando ajuda da Guarda Municipal e Polícia Militar para intensificar a fiscalização nas ruas que circundam o cemitério Portal das Cruzes, para impedir que pessoas suspeitas pulem o muro e ganhem a parte interna”, acrescentou o administrador.

Já no Cemitério Jardim, que está instalado no Jardim Aeroporto, a situação é bastante calma com relação furtos. “Há muito tempo que não temos reclamação de furtos de placas de bronze. Houve muitas ocorrências neste sentido quando tínhamos cerca de arame farpado. À partir do momento em que foi colocado alambrado o problema referente a furtos foi solucionado. A situação aqui no (Cemitério) Jardim é bastante tranquila”, comentou o administrador, Luiz Antônio Delego.

{n}Patrulhamento será intensificado{/n}

O comandante da GCM Paulo Renato da Silva adianta que a fiscalização nas imediações do cemitério será intensificada durante esses dias que antecedem o feriado de Finados. Segundo ele, existe até um projeto em andamento para que o local seja monitorado por câmeras de vídeo.

“Isso é violação de patrimônio público e temos que combater, pois além do valor financeiro, existe o valor sentimental que as famílias têm pelas peças. Atos de pessoas invadindo o cemitério eram comuns e nós conseguimos diminuir, drasticamente. Como alguns casos de invasão e furtos foram detectados pela administração, iremos intensificar o patrulhamento durante esses dias que antecedem Finados, com nosso contingente operacional motorizado”, adiantou o comandante da Guarda Municipal.

Lembra ele que zelar pelos prédios públicos e praças são atribuições da GCM. “Felizmente, se tornaram raros em Botucatu casos de pichação em prédios e monumentos públicos, assim como vandalismo em praças. Agora estamos trabalhando com essa ação de marginais violando jazigos. Estamos sempre atentos para coibir qualquer ação contra o patrimônio público da cidade e os próprios munícipes podem nos ajudar denunciando casos em que pessoas estejam cometendo atos ilícitos pelo telefone 199 para que a Guarda possa tomar as providências”, orientou Paulo Renato.

{n}Família fica consternada{/n}

Na tarde desta segunda-feira, a reportagem do {n}Jornal Acontece Botucatu{/n}, flagrou uma família que teve o túmulo violado. Os ladrões serraram a base do vaso de bronze para cometer o furto. O patriarca da família, Flávio Cabral, ficou consternado, quando foi avisado pela administração do cemitério que o túmulo da família havia sido violado.

“É muito triste ver isso acontecer em um local como o cemitério que deveria ser um local de paz, de reflexão e para visitar nossos entes queridos. O que conta não é o valor da peça que foi levada e sim a gravidade do ato cometido. A sensação que fica é como se minha casa tivesse sido invadida. Ficamos consternados em ver esta violação num patrimônio da família”, lamentou Cabral.

Fotos: Valéria Cuter