CDP para atender a região está próximo da inauguração

Fotos – Divulgação

No dia 15 de março está previsto uma visita técnica da engenharia da  SAP para avaliar todo o complexo e marcar a data oficial da inauguração que deverá acontecer em abril

 

A Secretaria de Estado de Assuntos Penitenciário (SAP) já está definindo o quadro de funcionários – para os mais diferentes cargos – interessados em trabalhar no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itatinga, que está com as obras concluídas, mas ainda não foi marcada a data de sua inauguração. No dia 15 de março está previsto uma visita técnica do SAP para avaliar todo o complexo e marcar a data oficial da inauguração que deverá acontecer em abril.

O CDP foi construído às margens da rodovia Castello Branco, no km 228, no Distrito do Lobo, Município de Itatinga e terá capacidade para abrigar cerca de 760 presos. Hoje a demanda de presos da região de comando da Delegacia Seccional de Botucatu que agrega 13 cidades é de 400 presos. De acordo com o contrato firmado com o governo do Estado o valor da obra ultrapassa aos R$ 48 milhões.

Atualmente, os presos da região que ainda não foram julgados são encaminhados para o CDP de Cerqueira Cesar, que está com sua capacidade carcerária acima do normal com mais de mil detentos que aguardam julgamento. Complexo de Cerqueira Cesar está localizado na zona rural da Cidade, na SP-245 Rodovia Salim Antonio Curiati, na altura do quilômetro 21.  Foi inaugurado como parte do projeto do governo estadual de desativação das cadeias das cidades da região que estavam sem as mínimas condições estruturais e físicas de atender a demanda de presos causando a superlotação.

Sobre o CDP de Itatinga o juiz titular da 1ª Vara Criminal da Comarca e juiz/diretor do Fórum de Botucatu, Josias Martins de Almeida Júnior, enfatizou que sua instalação é de fundamental importância para a região, administrado por agentes especializados para cuidar dos detentos.  “Não quero dizer que isso eliminaria problemas como rebeliões, mas, seguramente, a fiscalização e o controle disciplinar serão feitos de maneira mais adequada e os presos monitorados. Além disso, a ressocialização será mais eficaz”, aponta o magistrado.