CDP da região será inaugurado no 1º semestre de 2016

Fotos – Sifuspesp

Complexo  segue as normas arquitetônicas de outras unidades já construídas em diferentes cidades do Estado de São Paulo e tem capacidade para abrigar cerca de 760 presos

 

Na reta final de construção, já em fase de acabamento, o Centro de Detenção Provisória (CDP) que está instalado no Distrito do Lobo, Município de Itatinga e ira atender a toda macrorregião de Botucatu, deverá ser inaugurado nos primeiros meses de 2016.  Essa é a expectativa do Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo – Sifuspesp, que acompanha as obras desde o seu início em março de 2013.

A obra foi orçada em 38 milhões de reais (hoje o valor ultrapassa aos R$ 48 milhões) e teve previsão de inauguração para junho de 2014, porém foi paralisada por mais de quatro meses, gerando atraso que não estava previsto no contrato e a data foi adiada para 2015, não sendo concluída. Agora encontra-se em reta final de conclusão.

A unidade vai representar uma mudança radical para presos acusados dos mais variados crimes e seus familiares que fazem as visitas, e representa a expectativa de muitos trabalhadores que têm família ou são de cidades da região de Avaré e Botucatu de poderem trabalhar perto de sua casa, sonho de muitos servidores do sistema prisional do estado de São Paulo.

O CDP a ser instalado na região de Botucatu segue as normas arquitetônicas de outras unidades já construídas em diferentes cidades do Estado de São Paulo e tem capacidade para abrigar cerca de 760 presos. Hoje a demanda de presos da região de comando da Delegacia Seccional de Polícia Civil e do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPMI) que agrega 13 cidades, é de 400 presos.

Atualmente, os presos da região que ainda não foram julgados são encaminhados para o CDP de Cerqueira Cesar que está com sua capacidade acima do normal com mais de mil detentos. O complexo de Cerqueira Cesar está localizado na zona rural da Cidade, na SP-245 Rodovia Salim Antonio Curiati, na altura do quilômetro 21. Foi inaugurado como parte do projeto do governo estadual de desativação das cadeias das cidades da região que estavam sem as mínimas condições estruturais e físicas de atender a demanda de presos causando a superlotação.