Casal é preso pelo TOR no pedágio com 20 quilos de maconha

A equipe especializada do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), da Polícia Militar Rodoviária de Botucatu, realizou mais um tráfico de entorpecentes que resultou na apreensão de 20 quilos de maconha acondicionadas em pacotes lacrados de, aproximadamente, 500 gramas cada um.

A operação do TOR foi deflagrada por volta das 20h30 desta quarta-feira na praça de pedágio instalado no km 260 da Rodovia Presidente Castelo Branco, pista leste, entre Botucatu e São Manuel.

Em fiscalização na praça de pedágio do referido local os policiais abordaram o veículo GM/Corsa, de cor branca, placas HRR 0960, de Campo Grande/MS, conduzido pelo indiciado Cláudio Moura Ibarra, tendo como passageira a sua esposa Ariane, com uma criança de colo, que trafegavam no sentido interior a capital.

Durante a vistoria no veículo, foram localizados de baixo do pára-choque traseiro e nos encostos dos bancos dianteiros e do banco traseiro, vários tabletes contendo 20 quilos de maconha. Diante dos fatos, as partes foram encaminhadas ao Plantão Permanente de Botucatu/SP, onde a delegada. Rose Meire Ribeiro Dias, autuou o casal em flagrante de tráfico de entorpecente.

O indiciado foi encaminhado a Cadeia Pública de Botucatu e a indiciada a Cadeia Pública de Itatinga. Já a criança ficou aos cuidados do Conselho Tutelar de Botucatu/SP e deverá ser entregue a familiares do casal preso. .

Mais uma vez o comandante da Polícia Militar Rodoviária de Botucatu, tenente Ricardo Maganha, voltou a afirmar que a região de Botucatu está em um ponto privilegiado do Estado com rodovias que dão acesso a outros, e isso faz com que quadrilhas especializadas as utilizem como corredor para transporte de substâncias entorpecentes, principalmente maconha e cocaína.

“Em razão disso, nossa orientação é que os patrulheiros intensifiquem a fiscalização em veículos suspeitos e realizem operações que culminem com a apreensão de drogas, assim como a prisão dos traficantes, que estão usando as rodovias da região. Com esse trabalho somente no primeiro semestre conseguimos apreender mais de 600 quilos de drogas”, comentou Maganha.