Casal acaba preso por extorsão e estelionato

Fotos: Valéria Cuter

O casal Rodrigo Roberto Golveia e Emilena José da Rocha, ambos com 35 anos de idade, foi preso em flagrante nesta terça-feira (19) e indiciado em crimes de extorsão e estelionato. A prisão foi realizada pelos policiais militares cabo Samuel e soldado Mácoris. Caso foi registrado na 1ª Central de Polícia Judiciária (CPJ).

O casal aportou em uma banca de jornais e revistas na Rua Amando de Barros (em frente ao Supermercado Central) e a mulher entrou falando ao celular pedindo para fazer duas recargas de celular, ao preço de R$ 50,00 cada. Após o serviço feito ela solicitou outras quatro recargas de crédito que foram feitas, sempre conversando com o “seu tio” no celular.

Quando pediu para fazer outras duas recargas o proprietário do estabelecimento comercial, desconfiou e pediu que a mulher lhe pagasse os créditos já feitos, anteriormente. Ela, então, passou o telefone celular ao jornaleiro para que dialogasse com o “tio” que seria fazendeiro.

“Do outro lado da linha um homem disse que pertencia a uma organização criminosa e que se eu não fizesse aquilo que a mulher estava pedindo iria matar minha família e incendiar minha banca. Nessa hora o rapaz que estava com a mulher e havia ficado na porta, entrou e não permitiu que eu saísse. Fui para os fundos e consegui ligar para o 190 em outro telefone e continuei ouvindo as ameaças que o homem me fazia para dar tempo da PM chegar”, lembra o empresário.

Enquanto o casal recebia voz de prisão outra denúncia foi feita pelos proprietários de uma conhecida padaria na CPJ. Nesse estabelecimento o casal fez dois recarregamentos de créditos e saíram sem pagar alegando que não tinha dinheiro, tudo foi gravado pelo circuito interno de câmeras do local. Na delegacia eles foram reconhecidos.

{n}{tam:25px}Indiciada justifica{/tam} {/n}

Tentando justificar os golpes aplicados Emilena Rocha disse que sua filha havia recebido um telefonema avisando que ela teria ganhado uma casa em um sorteio, mas para receber o prêmio teria que comprar vários cartões de celular.

“Como eu não tinha dinheiro, um senhor que se identificou como Edemilson disse que era para eu ir até as lojas pedir os créditos e dizer que depois voltaria para pagar. Se acontecesse algum problema era para passar o telefone pra ele”, conta a mulher.

Prosseguido seu relato disse que no primeiro estabelecimento (pizzaria) não teve problemas. “Quando entrei na banca o senhor Edmilson queria muitos créditos e o proprietário acabou acionado a polícia. Agora não sei o que vai ser da minha vida”, lamentou a mulher.

O delegado Marcelo Lanhoso de Lima indiciou o casal em crimes de flagrante de extorsão e estelionato. A mulher foi recolhida no presídio feminino de Itatinga e seu companheiro ? Cadeia Pública de Botucatu. Não está descartada a possibilidade de que o casal tenha lesado outros comerciantes da Cidade e o caso continua sob investigação.