Cão pit bull que atacou criança pode ser entregue ao proprietário

Na tarde do dia 30 de dezembro de 2010 a equipe de resgate do Corpo de Bombeiros atendeu a um caso de ataque de cão da raça pit bull, na Rua General Telles, região central da cidade. A vítima foi uma criança de quatro anos de idade que foi internada em estado grave e passou vários dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica da Unesp e teve que ser submetida a uma cirurgia. Hoje ela está se recuperando em um quarto normal.

Na ocasião dos fatos, o cachorro que pertence a Marcos da Silva Nascimento, de 35 anos de idade, estava solto no quintal da casa e sem coleira. Teria saltado uma barreira na porta e atacado a menina na sala, mordendo a região da cabeça, causado ferimentos graves. A tia da criança (Solange) é quem conseguiu deter o animal, que foi recolhido ao Canil Municipal pela equipe de Zoonoses da Prefeitura Municipal.

Como o fato gerou muita polêmica e o cão passou por um período de observação, onde nada de animal foi encontrado, a veterinária do Canil Municipal, Selena Babboni e a coordenadora da Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), Gabiella Koppany Gonzalez, assinaram juntas um documento relatando a estadia do animal no local e quais serão os procedimentos a serem tomados. Caso se opte a devolver o animal ao dono, este só poderá ser entregue mediante a assinatura de um termo de responsabilidade, bem como a análise da estrutura do local onde o animal ficará estabelecido

{n}A íntegra do documento{/n}

No dia 30 de dezembro de 2010, um cachorro da raça pit bull, denominado Amin, que tem cinco anos, foi recolhido pelo Canil Municipal por ter agredido uma criança dentro de uma residência, no Centro de Botucatu.
O animal completou dez dias de observação na última segunda-feira (10), quando foi constatado que ele não possui alterações sintomatológicas compatíveis ? raiva. No local o cachorro ficou totalmente isolado dos outros animais e foi possível verificar também que apesar do cão ser agressor, ou seja, ter cometido o ato de violência junto ? criança, não é um animal agressivo, com desvio de comportamento constante.

A Vigilância Ambiental em Saúde, vinculada ? Secretaria Municipal de Saúde, informa que o cão continuará no Canil Municipal até que alguns fatores sejam analisados. Caso a equipe opte devolver o animal ao dono, este só poderá ser entregue mediante a assinatura de um termo de responsabilidade, bem como a análise da estrutura do local onde o animal ficará estabelecido.

A Vigilância ainda alerta que, por causa da repercussão deste caso de ataque, seis munícipes ligaram no Canil Municipal com intenção de doar seus animais da raça pit bull. Quando os donos dos mesmos foram questionados sobre se os animais estavam doentes ou teriam agredido alguém, ou algo relevante que motivasse seu isolamento, foi constatado apenas que os moradores estavam com medo por conta do caso registrado, que mais uma vez gerou pânico junto a população e inverdades sobre a raça pit bull. Por fim, a VAS informa que o Canil Municipal não recebe doação de animais.

{n}Selene Babboni{/n}
Veterinária do Canil Municipal

{n}Gabriella Koppany Gonzalez{/n}
Coordenadora da Vigilância Ambiental em Saúde