Caminhão baú causa destruição no centro

Fotos: Luiz Fernando

Caminhão baú desgovernado e sem freio com um carregamento de iogurte, placas GWI-3138, de Araras, destruiu dois carros e uma grade de proteção de residência, danificou um terceiro veículo, derrubou diversas lixeiras e parte de um muro. Só parou quando bateu em uma árvore ? s margens do Ribeirão Lavapés, na ponte que separa o centro da Cidade da Vila Rodrigues. Embora os danos materiais tenham sido consideráveis, ninguém ficou ferido.

Esse acidente que por muito pouco não se transformou numa grande tragédia, aconteceu na manhã desta sexta-feira (28), por volta das 8h30 e foi necessária a atuação da Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM), já que o local tem o maior fluxo de veículos de Botucatu. O caso foi registrado na 1ª Central de Polícia Judiciária que irá apurar as causas do acidente e ouvir as pessoas envolvidas.

Tudo começou na Rua Curuzu quando o caminhão baú conduzido por Henrique Rodrigues Neto, de 25 anos de idade, bateu contra a lateral traseira de um Monza “tubarão”, placas BZU-4792, de Botucatu, que era conduzido por Maria Josineide. Os dois veículos pararam e o caminhão ficou no aclive da Rua Prefeito Tonico de Barros e o motorista com seu ajudante desceu para verificar os danos. Foi, então, que o caminhão desceu desgovernado pela rua por mais de 200 metros, derrubando tudo ? sua frente até chocar-se contra uma árvore.

“Foi um barulho muito grande e quando saí vi que meu carro (Gol placas DUQ-0834) havia sido arrastado e estava todo destruído. Era um Gol que virou sucata”, disse Reginaldo de Oliveira Dias. Também o Gol (placas AEA-5091) do pedreiro Benedito Carlos de Almeida, teve perda total. “Não moro nesse bairro e vim aqui para fazer um trabalho e deixei o carro estacionado em frente da casa”, lamentou. Os dois proprietários dos carros destruídos esperam o ressarcimento.

O motorista do caminhão se mostrando bastante abalado com o ocorrido disse que ainda não sabe o que aconteceu. “Me envolvi num acidente com o Monza lá em cima (Rua Curuzu) e quando sai da cabine o caminhão “andou” e desceu em velocidade pela rua, não dando pra segurar. “Tᔠcerto que os danos foram grandes, mas estou dando graças a Deus por ninguém ficar ferido”, disse Henrique Rossi. “Naquela hora não havia ninguém naquele trecho da rua. Do jeito como tudo aconteceu poderia ter até gente morta”, completou.