Cachorro defende seu dono de ataque de outros três cães

Inspetora Cintia e agente Marciolli atenderam uma ocorrência atípica ao dia-a-dia das solicitações feitas no número 199. O fato envolveu um garoto de apenas cinco anos que, acompanhado de sua babá, estava chegando a sua residência no Parque dos Pinheiros, quando, repentinamente, foram surpreendidos por três cães sem raça definida, que tentaram iniciar um ataque contra aquela criança, bem como sua cuidadora.

Menino e babá correram, porém o que chamou a atenção foi que cão de estimação do garoto percebeu o ataque e não hesitou em enfrentar os cachorros que queriam morder seu dono. Durante o entrevero o animal de estimação do garoto foi ferido na região da cabeça, porém conseguiu impedir que o garoto saísse sem nenhum tipo de ferimento.

Quando chegaram ao local os guardas depararam com a criança suja de sangue, porém ficou comprovado que seria do cachorro, visto que após a ação do “Sultão”, nome do animal de estimação, o garoto abraçou seu fiel companheiro, sem maiores danos a todos os envolvidos que foram devidamente qualificados;

A equipe de Saúde Ambiental esteve no local e os dados foram transmitidos a 1ª Central de Polícia Judiciária com embasamento no artigo 31 da Lei das Contravenções Penais, que pune aquele que deixar em liberdade, confiar ? guarda de pessoa inexperiente, ou não guardar com a devida cautela animal perigoso.

A pena para este crime resulta em prisão simples, de dez dias a dois meses de reclusão, ou multa. Incorre na mesma pena quem, na via pública, abandona animal de tiro, carga ou corrida, ou o confia ? pessoa inexperiente ou excita ou irrita animal, expondo a perigo a segurança alheia.