Botucatu registra queda em todos os tipos de crimes

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo acaba de divulgar os dados de dezembro, fechando as estatísticas da criminalidade em 2014. Os números revelam que, em Botucatu, houve uma queda acentuada nas cinco modalidades de crimes que servem de referência para o acompanhamento que é feito mensalmente: homicídio, furto, roubo e furto/roubo de veículo.

Classificado como “crime de oportunidade” e de menor potencial ofensivo por não envolver violência contra a pessoa, o furto desafia as forças de segurança dia a dia. O fato do município de Botucatu ser o 10º maior em extensão territorial entre os 645 municípios paulistas, traz maiores dificuldades no combate a essa modalidade de crime. Ainda assim, na comparação entre 2013 e 2014 houve uma queda de 20,6% na quantidade de furtos. A taxa de delito para cada  grupo de 100 mil habitantes caiu de 1.202 para 954 casos. Para se ter uma ideia, entre os anos de 2001 e 2008, a taxa média em Botucatu foi de 1.934 furtos para cada grupo de 100 mil habitantes. 

Quanto aos casos de furto ou roubo de veículos, a queda foi ainda maior. Botucatu fechou 2013 com taxa de 121 casos e em 2014 a quantidade de ocorrências caiu praticamente pela metade, encerrando o ano com apenas 55 casos, uma redução de 54,5%.

Nos chamados “crimes contra a pessoa”, os registros também retrocederam. Em relação aos roubos, a redução da taxa foi de 12,5%, saindo de 72 em 2013 para 63 em 2014, a menor entre os 76 municípios com mais de 100 mil habitantes do Estado de São Paulo. O resultado é ainda mais significativo porque este tipo de crime, que envolve violência ou ameaça de violência à pessoa, na maioria do país, segue em patamares muito elevados. 

Entre os anos de 2001 e 2008, a taxa de roubos em Botucatu, para cada grupo de 100 mil habitantes foi de 151. Já entre os anos de 2009 e 2013 houve uma redução da ordem de 40% nos registros desse tipo de crime, com a taxa média caindo para 90/100 mil. 

A taxa de homicídios no município caiu no ano passado para 5,25 delitos por grupo de 100 mil habitantes. A redução foi de 13,5%, já que em 2013 a taxa ficou em 6,07. O teto estabelecido pela ONU como aceitável é de uma taxa menor que 10/100 mil. Acima disso são considerados  epidêmicos os índices de mortalidade por ação violenta. Entre os anos de 2001 e 2008, a taxa média de homicídios em Botucatu ficou muito próxima do limite considerado aceitável, atingindo 9,78/100 mil.

A redução das taxas de tentativa de homicídio foram semelhantes, passando de 5,2 em 2013 para 4,5 em 2014 (-13,5%). Quanto aos casos de lesão corporal dolosa, a taxa caiu de 388,2 em 2013 para 250,4 no ano passado, redução de 35,5%. 

Finalmente nos registros de estupro, a queda atingiu 47,3%. A taxa saiu de 16,9 em 2013 para 8,9 em 2014. Os dados divulgados fazem parte das estatísticas de criminalidade divulgadas pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP), no site da Secretaria da Segurança Pública.