Bombeiros combatem incêndio no Bairro Boa Vista

Na tarde deste sábado a equipe do Corpo de Bombeiros atendeu a mais um caso de incêndio, provavelmente de origem criminosa, registrado em Botucatu. Desta feita os policiais estiveram em um terreno na Rua Rafael Sampaio, região do Bairro da Boa Vista.

Já é considerado alarmante o número de chamadas ao Corpo de Bombeiros para atendimento a focos de incêndio na zona urbana e rural da cidade. Segundo apurou a reportagem do {n}Jornal Acontece,{/n} cerca de 10 chamadas, em média, são feitas todos os dias. Esse assunto sempre volta ? tona em razão da irresponsabilidade de muitos proprietários que não zelam pelo patrimônio.

O sargento Claudenir Celestino que atendeu a esta ocorrência na tarde de sábado alerta que em razão da estiagem, a vegetação está seca e assim o fogo se propaga rapidamente e além dos terrenos, o fogo acaba atingindo casas vizinhas. A fumaça e a fuligem ocasionadas pelas chamas invadem as residências, acarretando risco de intoxicação. Isso sem falar que o cheiro da fumaça fica impregnado nas roupas.

“Essa ação de atear fogo em terrenos é fator comum na cidade e para acelerar o processo envelhecimento da vegetação, é utilizado um produto químico conhecido como “mata-mato” que seca o mato tornando o local muito inflamável. Em razão disso, um incêndio de grandes proporções pode ser ocasionado por uma simples “bituca” de cigarro acesa, comentou Celestino. “Depois que o fogo se propaga torna-se difícil seu controle em razão da facilidade como a vegetação seca queima”, acrescenta.

Ele enfoca que a situação em Botucatu é complicada, pois, em média, são registradas 10 chamadas por dia para combater fogo em algum ponto da cidade, assim como na zona rural e a maioria dos casos é provocada pelos próprios proprietários de terrenos que querem se livrar do mato e do entulho ateando fogo no local.

“Com isso uma viatura que poderia estar atendendo uma ocorrência de socorro ? vítima, está atendendo incêndio. O proprietário teria que zelar pelo seu patrimônio, mantendo-o limpo. Em terreno limpo ninguém coloca fogo. Caso aconteça um incêndio ele será responsabilizado, por não cuidar do que é seu e arcará com todos os prejuízos que o incêndio vier a causar”, observa sargento dos bombeiros.

O oficial finaliza fazendo um apelo ? população. “Pedimos que as pessoas se conscientizem, pois um incêndio no mato pode se propagar e atingir residências causando vítimas. Se houver colaboração e conscientização popular, podemos não eliminar todos os focos de incêndio, mas seguramente, conseguiremos diminuir, consideravelmente, essas ocorrências na cidade”, complementou.

Fotos: David Devidé