Bombeiros buscam corpos de dois afogados na “Mina”

 

Os  três teriam caíram do barco que ficou à deriva e a mulher foi encontrada afogada próximo a ele, entretanto os dois homens que estavam juntos não foram localizados e as buscas estão sendo feitas no local

 

Depois de resgatar o corpo de uma mulher de 47 anos de idade chamada Maria Valdilene Gomes Tavares, os policiais do Corpo de Bombeiros de Botucatu estão trabalhando para resgatar os corpos de dois homens que estão desaparecidos na represa do Rio Tietê, na região do Bairro da Mina, desde a tarde de sábado. São eles: Orlando Martins da Silva (56 anos) e Luiz Carlos dos Santos (46).

Segundo que foi apurado até agora, de acordo com o Boletim de Ocorrência (BO),   Maria Valdilene,  passageira de um barco que havia comprado recentemente, saiu da Mina com outros dois homens e seguia sentido Piracicaba e moradores perceberam que o barco estava girando e acharam que eles estavam brincando. Provavelmente,  a hélice do barco pode ter se enroscado em entulhos do rio ou na vegetação aquática fazendo com que os ocupantes perdessem o equilbrio. Eles estavam sem o colete salva vidas.

Os  três teriam caíram do barco que ficou à deriva e Maria Valdilene mulher foi encontrada afogada próximo a ele. Porém, os dois homens não foram localizados e as buscas estão sendo feitas no local. Um dos homens (Luis Carlos) estava em visita ao casal no Bairro da Mina  e os três saíram juntos para testar o barco.

Várias hipóteses foram levantadas sobre as causas que levaram essas três pessoas à morte, mas nenhuma confirmada,  oficialmente, pela  Polícia Militar ou Corpo de Bombeiros, até agora. Também a Polícia Civil  está investigando o caso para ouvir pessoas que estiveram com essas pessoas nos momentos que antecederam o acidente.

Embora tudo leve a crer que os dois homens estejam, realmente, mortos, já que não foram mais vistos, os bombeiros ainda tratam o caso como pessoas desaparecidas. "Só podemos afirmar, com certeza,  que houve a morte desses  homens quando os corpos forem encontrados", comentou o sargento MIlanesi. "O trabalho de resgate continua", complementou.