Aves irregulares em cativeiro são flagradas na zona rural

Durante a averiguação ficou constatado que havia dois tucanos e um papagaio, mantidos em cativeiro e com um agravante: as aves  estavam com as asas cortadas

 

Os guardas civis municipais inspetor Carlos e agente Carmelin,  do Grupo de Proteção Ambiental (GPA),  em trabalho conjunto realizado com Polícia Militar Ambiental com o tenente Dagoberto e cabos Viotto e Negrão acabaram comparecendo no Bairro Alvorada da Barra, região do Rio Bonito Campo e Náutica, para atender a uma denúncia anônima revelando pássaros mantidos em cativeiro.

Durante a averiguação ficou constatado que havia dois tucanos e um papagaio mantidos em cativeiro e com um agravante: as aves  estavam com as asas cortadas. Em razão da gravidade do fato, a Polícia Ambiental realizou as autuações pertinentes às infrações cometidas, arbitrando uma multa de R$19.500,00 contra o acusado que responderá processo em liberdade.

O fato foi apresentado pelos guardas municipais junto ao plantão policial, onde o delegado Lourenço Talamonte Netto deliberou pela lavratura do Termo Circunstanciado (TC) de crime ambiental e as aves foram conduzidas ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas) para serem avaliadas, tratadas e, posteriormente, reconduzidas ao habitat natural.

 

Maus tratos

Também o inspetor Carlos e agente Carmelin do Grupo de Proteção Ambiental (GPA), estiveram verificando uma denúncia anônima realizada no telefone 199, dando conta que numa área verde na Cohab  VI havia dois cavalos em situação de maus tratos. Durante averiguação ficou constatado que os animais aparentemente estão bem cuidados, porém os proprietários dos animais foram devidamente orientados e o fato será encaminhado a Saúde Ambiental Municipal para acompanhamento.