Autônomo é preso e enquadrado na Lei Maria da Penha

Fotos: Luiz Fernando

Efetuando operação numa chácara na região do Jardim Santa Elisa, os policiais militares Rosa e Tibúrcio efetuaram a prisão do autônomo Bruno Muniz, de 35 anos de idade. A ação teve apoio do tenente Noronha, sargento Ronaldo e soldados Márcio Oliveira, Heitor, Lucas e Forner.

A PM foi notificada de que o autônomo havia se desentendido com sua mulher (D.I.A.), de 19 anos, que teria sido agredida física e moralmente, sofrido tortura psicológica, ameaçada de morte com uma arma de fogo e ter os móveis da casa danificados. Os PMs se deslocaram até a residência do casal na Rua Três, no Jardim Santa Elisa, mas foram informados de que ele estaria em sua chácara que fica no mesmo bairro.

Ao ser detido na chácara, juntamente com o caseiro que foi ouvido como testemunha, o autônomo negou as agressões ou de ter feito ameaças contra sua mulher com quem tem um filho (com menos de um ano de idade), mas uma espingarda cartucheira calibre 22, cano curto, tipo “garruchão”, foi encontrada em cima do telhado de um galpão, além de quatro cartuchos do mesmo calibre deflagrados. Mulher reconheceu a arma como a mesma que teria sido usada na ameaça.

O averiguado foi conduzido ? Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) onde acabou autuado em flagrante pela delegada Simone Alves Firmino Tuono e enquadrado na Lei Maria da Penha, antes de ser recolhido ? Cadeia Pública local, permanecendo ? disposição da Justiça.

Na delegacia, o indiciado, assistido pelo advogado criminalista Roberto Fernando Bicudo, ratificou as negativas de agressões e ameaças contra sua mulher, mas reconheceu que matinha a arma sob sua guarda. “Faz tempo que (a arma) está comigo e deixava na chácara por precaução”, salientou.

Já a mulher confirmou as agressões e a ameaça, ressaltando que as brigas se intensificaram nos últimos meses, em razão do companheiro estar mantendo uma relação extraconjugal. “Isso foi a causa de tudo. Ele é “briguento”, mas trabalha e não bebe, nem fuma. De uns tempos pra cá ele mudou comigo, passou a me agredir e a ameaçar e eu descobri que é por causa de outra mulher. Ontem ? noite (quinta-feira) ele me ameaçou com a arma e hoje de manhã, voltou a fazer o mesmo”, relatou a vítima. “Fiquei com medo das ameaças e chamei a polícia”, acrescentou.