Assassinos de irmão de delegado são presos 15 anos após o crime

Foto: Valéria Cuter

O delegado seccional de Polícia de Botucatu, Antônio Soares da Costa Neto (foto), ajudou a elucidar um crime ocorrido há 15 anos tendo como vítima o seu irmão Antônio Soares Neto, ocorrido na Cidade de Itapevi, Grande São Paulo, em dezembro de 1997. A vítima estava em sua loja de materiais de construção e por ter se negado a vender fiado acabou assassinado com vários tiros. Um dos tiros também atingiu o filho de cinco anos de idade, que felizmente, sobreviveu.

“Naquela ocasião eu estava passando férias em São Paulo e ajudei a polícia a fazer diligências e chegamos a identificar os autores do delito: os irmãos Genilson Primitivo dos Santos e Genivaldo Primitivo dos Santos, ambos oriundos de Crisópolis, estado da Bahia, que tiveram a prisão preventiva decretada, mas conseguiram fugir e, desde então, figuravam entre os procurados da Justiça”, lembra Soares Neto.

Na semana passada o seccional de Botucatu recebeu a informação de que um dos assassinos, Genivaldo Santos, havia renovado sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Pelo sistema de informações da Polícia Civil, o delegado detectou que esse cidadão estaria morando na Bahia e havia se envolvido num caso de lesão corporal, por ter agredido uma mulher.

“Levado pela experiência policial presumi que eles tivessem retornado ? cidade de origem (Crisópolis), como sempre acontece com pessoas oriundas do Nordeste. Entrei em contato telefônico com o delegado daquele Município e tomei conhecimento de que eles estavam morando lá. Encaminhei os mandados de prisão e os dois, felizmente, foram presos”, conta Soares Neto. “Agora 15 anos depois eles poderão ser julgados e, com certeza, pagar pelo que fizeram”, acrescentou o delegado seccional.