Assassino é preso após ficar quase dois anos foragido

Fotos: Valéria Cuter

Foram 1.800 quilômetros (entre ida e volta) o percurso percorrido pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG), com o delegado Geraldo Franco Pires e o policial Pecorari, para efetuar a prisão de um cidadão chamado Sebastião Rogério Pereira, de 26 anos de idade, o Japa, que estava foragido da Justiça desde o dia 28 de junho de 2010, quando assassinou a tiros o pedreiro André Luiz da Silva, o Cebola, na ocasião com 24 anos. O crime aconteceu na parte externa do salão de festas da Estância Sophia, onde estava acontecendo um baile.

O trabalho investigativo da DIG levou os policiais até a Cidade de Curitibanos, Estado de Santa Catarina, onde ele trabalhava como cobrador de uma empresa que confecciona cestas básicas usando o nome falso de Danilo Pereira. Estava residindo na Rua Mateus Conceição, nº 426, no Bairro Bosque. Os policiais saíram de Botucatu na manhã de sábado (28) e retornaram na noite de domingo (29), por volta das 21 horas.

“Após cometer o crime, o indiciado fugiu e permaneceu foragido durante todo este tempo, mas o trabalho investigativo não deixou de ser efetuado. Conseguimos apurar que ele estava morando no Estado de Santa Catarina usando um nome falso. Deslocamo-nos até o local e efetuamos a prisão. Quando foi abordado não reagiu ? prisão e confirmou quem, realmente, era”, relata Franco Pires.

Ao ser apresentado no Plantão Permanente Sebastião Pereira alegou que desde que o crime foi cometido (ver o vídeo abaixo) ele carregava esse peso nas costas. “Fiz essa besteira e sabia que a qualquer momento isso (a prisão) poderia acontecer. Estou muito arrependido (do crime) e foi um momento de bobeira, de raiva, para me defender de uma agressão que estava sofrendo naquele dia. Agora não adianta e vou ter que pagar por isso”, disse o indiciado, antes de ser recolhido ? Cadeia Pública local.

{n}{tam:25px}O crime{/tam}{/n}

O crime cometido por Sebastião Roberto Pereira aconteceu por volta das 23 horas do dia 28 de junho de 2010, na Estância Sophia, que fica ? s margens da Rodovia Marechal Rondon, altura do km 245, região que pertence ao Parque dos Pinheiros.

Segundo o que foi apurado na ocasião, junto a algumas pessoas que estavam no local, depois de uma discussão, Pereira disparou quatro tiros contra seu desafeto. Dois tiros atingiram o tórax e o pescoço da vítima, respectivamente. Os outros dois tiros não acertaram o alvo. Após os disparos o assassino fugiu, a pé, deixando para trás uma motocicleta Yamaha, com placas da cidade de Trindade, Estado de Pernambuco. Foi com esse veículo que havia chegado ? festa.

De acordo com dados preliminares passados por testemunhas, Pereira se desentendeu com André Luiz, por causa da mulher de um amigo. Ele teria ido em defesa do companheiro e quando os dois saíram passaram a discutir, teria sacado de um revólver e disparado os tiros, que tiraram a vida do pedreiro.