Assassino de estudante de São Paulo é preso em Bofete

Fotos: Valéria Cuter

A Polícia Civil, através de um trabalho deflagrado pela equipe do delegado Lourenço Talamonte Neto, que responde pela delegacia do município de Bofete, efetuou a prisão de um cidadão chamado Wellington Batista da Silva, de 21 anos de idade, apontado como um dos participantes de um assassinato ocorrido no dia 08 de março de 2011, na Rua Xavier da Rocha, nº 20, região da Vila Prudente em São Paulo, tendo como vítima o estudante universitário (Letras), Carlos Eduardo de Souza Garcia, de 24 anos de idade, que não reagiu e foi morto, friamente.

De acordo com Talamonte a polícia realizava uma operação no Bairro Recanto das Águas nesta quinta-fera (9), para apurar um furto de xampu, quando localizou Wellington Silva que não portava documentos e foi detido para averiguação. Posteriormente, foi constatado que ele estava sendo procurado pela Justiça por ter participado do crime em São Paulo.

“No início ele tentou dissimular dando nome falso e o fato de estar sem documentos chamou nossa atenção. Depois, fazendo um trabalho de investigação detectamos que estava sendo procurado pelo envolvimento desse crime em São Paulo. Vendo que havia sido descoberto confessou sua participação e foi recolhido ? Cadeia Pública de Botucatu”, relatou Talamonte.

O delegado descartou a possibilidade de o procurado estar em Bofete na casa de amigos ou parentes. “Ele fugiu de São Paulo sem rumo certo e acabou chegando a Bofete, onde foi preso. Morava numa chácara e não sabe ao certo quando chegou aqui na nossa região. Felizmente, foi preso e deverá responder pelo crime que cometeu na capital paulista”, frisou Talamonte.

{bimg: 29119:alt=interna:bimg}

As imagens do assassinato que foram gravadas pela câmera de segurança instalada no quintal da casa, mostram o estudante chegando em casa, abrindo o portão e sendo abordado por um dos quatro bandidos, que passavam pela rua. O criminoso armado entra no quintal, onde já está o estudante, e aponta um revólver para a cabeça de Carlos, que tentou encostar o portão mesmo com os outros dois criminosos na calçada.

Segundos depois, o assaltante armado, que teria desistido do roubo, passa novamente por Carlos e pelo portão e os três fogem, mas, no momento em que Carlos Eduardo fecha novamente o portão, o bandido armado volta e atira contra a cabeça do estudante, que ainda tentou se proteger agachando-se junto ? parte de ferro inteiriça do portão. O pai do estudante viu o filho chegando em casa e sendo abordado e ainda saiu na janela dizendo que o rapaz entregaria tudo.

Quando descia a escada que dá acesso ? garagem, ouviu o disparo e encontrou o filho já caído junto ao portão. O jovem foi levado pelos pais para o Hospital São Cristóvão, na Mooca e foi transferido para o Hospital Metropolitano, mas não resistiu e morreu. Carlos Eduardo trabalhava na empresa do pai, estudava Letras em uma faculdade particular e nas horas vagas ensinava inglês para os colegas de classe.

Dos quatro elementos que participaram do crime, três já haviam sido capturados, estando somente Wellington Silva foragido. Diogo de Amorim Cruz, de 21 anos e Antonio Charles Vieira Rebouças, de 24 anos, estão presos em São Paulo. O quarto elemento é um adolescente de 16 anos de idade, autor do disparo que matou o estudante, está internado na Fundação do Centro de Atendimento Socieoeducativo ao Adolescente (CASA), na unidade do Tatuapé. Consta que o adolescente disparou o tiro por ordem de Wellington Silva. “Dá o pipoco”, teria dito, na ocasião.