Assassinato ocorrido há dez anos vai a júri popular

O juiz substituto da 2ª Vara da Comarca de Botucatu, Edson Lopes Filho, irá presidir nesta quinta-feira (15) a mais um julgamento popular, marcado para acontecer no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subsecção de Botucatu, com entrada liberada para o público interessado.

O Conselho de Sentença (júri popular) será formado por 7 pessoas da sociedade (entre homens e mulheres), sorteadas minutos antes do início do julgamento, entre as 25 convocadas. Ao lado do magistrado estará trabalhando a escrevente Eliane Pilan. Representando o Ministério Público atuará o Promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino.

O réu, José Paulo de Brito, que está respondendo o processo em liberdade e não deverá estar sentado no banco dos réus, por estar, atualmente, residindo no Estado do Paraná, será defendido em plenário pelo advogado criminalista, Milton Ribeiro Júnior.

Na denúncia formulada pelo promotor Vanderlei César Honorato, está descrito que na primeira hora da madrugada do dia 29 de setembro de 2001, o réu José Paulo de Brito assassinou Vanderlei Bittencourt, com um golpe no coração utilizando como arma uma chave de fenda.

Nesse dia réu e vítima estavam em um imóvel na Rua Luiz Miquelin, nº 465, no Distrito de Rubião Júnior, com seus familiares quando houve um desentendimento e ambos entraram em luta corporal. Brito teria sacado de uma chave de fenda que carregava na cintura e desferido um único golpe contra o peito de Bittencourt, causando-lhe ferimentos que o levaram ? morte. O réu chegou a ser preso, mas ganhou o direito de aguardar o julgamento em liberdade.