Assaltante invade drogaria e atira contra testemunha

Um crime de assalto ? mão armada foi registrado pela Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM) no final da tarde desta quarta-feira (15), contra a Drogaria Vila Maria, que funciona na Avenida Conde Serra Negra, bem próximo ao início da Rodovia Alcides Soares, que liga Botucatu ao Distrito de Vitoriana/Rio Bonito e da Base Leste da PM.

O marginal estacionou sua motocicleta vermelha e de capacete na cabeça, armado com uma pistola invadiu a drogaria, rendendo um dos proprietários de nome Joel Poloni da Silva, anunciando o roubo. Para evitar chamar a atenção dos transeuntes o assaltante procurou falar em tom baixo. Ele levou todas as cédulas, moedas e cheques que estavam no caixa e fugiu. Porém, quando a motocicleta estava ganhando velocidade, o assaltante atirou por três vezes seguidas contra uma testemunha que percebeu que havia ocorrido um assalto e tentava visualizar a placa do veículo. Felizmente, nenhum dos disparos atingiu a vítima. Uma cápsula deflagrada de pistola calibre .380 foi apreendida pela polícia.

“Quando ele veio em direção da farmácia olhando para os lados percebi que havia algo errado, pois estava com a mão na cintura e não havia tirado o capacete. Entrou, apontou a arma em minha direção exigindo dinheiro e levou tudo que tinha no caixa. Em nenhum momento esbocei reação, pois ele ameaçou me matar caso isso acontecesse”, lembra Joel Silva, sem revelar a quantia levada pelo assaltante.

Para o proprietário da drogaria, o assaltante conhecia o movimento da farmácia sabia que ali se recebia contas de energia da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). “Ele não se preocupou com o movimento da rua que naquela hora era grande e final de expediente com muita gente retornando do trabalho para casa. Foi um susto muito grande, mas agora não adianta ficar lamentando. Temos que seguir em frente e continuar trabalhando para recuperar o que nos foi levado”, consolou-se Silva.

Um grande cerco foi montado no local com os policiais militares Gonçalves, Renê, Eliete e Carlos e os agentes da Guarda Municipal, Trombaco e Nogueira, mas o marginal não foi localizado. O roubo agora será investigado pelo Serviço de Inteligência da Polícia Civil, através da equipe especializada da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

{n}Fotos: Valéria Cuter